Celso de Mello pede manifestação das partes para decidir sobre sigilo de vídeo

Agência Brasil


O ministro Celso de Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal), decidiu nesta terça-feira (12) conceder prazo de 48 horas para receber manifestações sobre a retirada do sigilo do vídeo da reunião no Palácio do Planalto, realizada no dia 22 de abril.

A gravação foi citada pelo ex-ministro da Justiça Sergio Moro em depoimento prestado no início do mês no inquérito que investiga uma suposta interferência política de Jair Bolsonaro (sem partido).

Com a decisão, a PGR (Procuradoria-Geral da República), a AGU (Advocacia-Geral da União) e a defesa de Moro deverão dizer se são a favor da manutenção do sigilo ou da divulgação total ou parcial da gravação.

Após receber as manifestações, Celso de Mello vai decidir se o sigilo será mantido.

VÍDEO DE REUNIÃO NO PALÁCIO DO PLANALTO É EXIBIDO NA PF

A decisão foi tomada pelo ministro após a PF exibir, na manhã de ontem, o vídeo somente para os envolvidos na investigação, que apura a suposta interferência do presidente Jair Bolsonaro na corporação.

Estiveram presentes representantes da PGR, os delegados responsáveis pela investigação, a AGU, representando o presidente, o ex-ministro Moro e seus advogados, além de um juiz auxiliar do ministro.

Desde a exoneração de Moro, o presidente nega que tenha pedido para o então ministro interferir em investigações da PF.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="698477" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]