Tico Kuzma é eleito presidente da Câmara Municipal de Curitiba para biênio 2021-22

Angelo Sfair

mesa diretora, cmc, câmara municipal de curitiba, tico kuzma, alexandre leprevost, tito zeglin, flávia francischini, professora josete, professor euler, mauro ignácio, composição, poder legislativo, curitiba

Aclamado por unanimidade, com 38 votos, o vereador Tico Kuzma (PROS) foi eleito presidente da CMC (Câmara Municipal de Curitiba) para o biênio 2021-22. A eleição da Mesa Diretora foi realizada neste sábado (2), em sessão plenária presencial.

Posteriormente, foram eleitos os vice-presidentes da CMC. Alexandre Leprevost (SD), indicado para primeiro vice, e Tito Zeglin (PDT), que concorreu à segunda vice-presidência, foram confirmados para os cargos após consulta ao plenário.

A 1ª Secretaria será ocupada por Flávia Francischini (PSL). Completam a Mesa Diretora a 2ª Secretária, Professora Josete (PT), o 3º Secretário, Professor Euler (PSD), e 4º Secretário, Mauro Ignácio (DEM).

TICO KUZMA É ELEITO PRESIDENTE DA MESA DIRETORA DA CMC

Confira a formação da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Curitiba para os primeiros dois anos da 18ª Legislatura. Os vereadores foram indicados aos cargos pelos líderes dos blocos (veja a composição completa abaixo).

  • Presidente: Tico Kuzma (PROS)
  • 1º vice-presidente: Alexandre Leprevost (SD)
  • 2º vice-presidente: Tito Zeglin (PDT)
  • 1ª secretaria: Flávia Francischini (PSL)
  • 2ª secretaria: Professora Josete (PT)
  • 3ª secretaria: Professor Euler (PSD)
  • 4ª secretaria: Mauro Ignácio (DEM)

Após a eleição da Mesa Diretora, foram escolhidos os vereadores que se inscreveram para os cargos de corregedor e vice-corregedor da CMC para o mesmo período (2021-22). Dois grupos se candidataram para os cargos.

A Chapa 1 era composta pelos vereadores Amália Torato (NOVO) e Osias Moraes (Republicanos). A Chapa 2 apresentava os nomes de Marcelo Fachinello (PSC) e Maria Letícia (PV).

Com 24 votos, foram escolhidos os candidatos da primeira chapa. Assim, Amália Tortato (NOVO) será a corregedora, e Osias Moraes (Republicanos) o vice-corregedor.

Ao final das eleições para a Mesa Diretora e para a Corregedoria, antes do encerramento da primeira sessão plenária de 2021, a CMC fez um minutos de silêncio em homenagem ao ex-jogador Cléber Arado, ídolo do Coritiba, e às demais vítimas da Covid-19.

COMPOSIÇÃO DA CÂMARA UNE NOVO, PSL E PT

Os primeiros dias da 18ª Legislatura da CMC dá o tom de como os partidos devem ser organizar em blocos parlamentares para a sequência dos trabalhos legislativos. Para a eleição da Mesa Diretora, apenas o DEM não se uniu a outras legendas.

O maior bloco formou-se a partir da união de 12 partidos, representados por 21 vereadores eleitos. A composição uniu legendas ideologicamente opostas, como Solidariedade, NOVO, PSL e PT.

O bloco também era composto pelo PTB, partido do líder da Prefeitura de Curitiba na CMC, Pier Petruziello, crítico do Partido dos Trabalhadores. Outro antipetista que se rendeu às negociações foi Denian Couto, do Podemos.

Além de PT, PSL, NOVO, PTB e Podemos, o maior bloco de composição para a eleição da Mesa Diretora da CMC também foi composto por MDB, PV, PP, DC, PROS, Republicanos e Solidariedade.

A união deu ao maior grupo o poder de indicação do presidente Tico Kuzma, do 1º vice-presidente Alexandre Leprevost, da 1ª secretária Flávia Francischini e da 2ª secretária Professora Josete.

O segundo bloco, com seis vereadores, reuniu os partidos PSD, PSC e Cidadania. O grupo indicou o 3º secretário, Professor Euler.

O terceiro bloco, também representado por seis vereadores, uniu PDT, PSB, PMB e Patriota. O grupo indicou o 2º vice-presidente, Tito Zeglin.

Isolado, o DEM, cuja bancada é formada por cinco vereadores, indicou o 4º secretário, Mauro Ignácio.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="736973" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]