TJPR aumenta pena do ex-prefeito de Araucária, alvo da Operação Fim de Feira

Redação


Rui Alves de Souza (PTC), ex-prefeito de Araucária, Região Metropolitana de Curitiba, teve a condenação confirmada pela Segunda Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR). A pena de 5 anos, 2 meses e 20 dias ainda aumentou para 7 anos, 5 meses e 18 dias, pelos crimes de peculato e concussão. Ele ainda tem outra condenação, com pena de 50 anos de prisão, pelos crimes de concussão, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

A filha e o genro de Rui também tiveram suas penas fixadas na mesma sessão do TJPR. Ela teve a pena definida em 12 anos, 9 meses e 16 dias de reclusão. Já o genro do ex-prefeito foi condenado por 3 anos, 2 meses e 12 dias de reclusão em regime aberto, com substituição da pena de prisão por pena restritiva de direitos.

Ele havia sido preso pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) no dia 20 de dezembro de 2016, determinando o afastamento do cargo público pelo envolvimento na Operação Fim de Feira.

O Ministério Público do Paraná (MPPR) tomou conhecimento e apurou que o ex-prefeito nomeou o genro, por pedido da sua filha, como “assessor de secretário municipal I” na prefeitura de Araucária para que o casal pudesse financiar um apartamento e colocar suas rendas em dia. Além disso, o ex-prefeito também nomeou a amiga de sua filha a um cargo similar, recebendo salário de R$ 9.175,14, sendo que 70% do valor eram repassados ao ex-prefeito e sua filha.

Em outubro de 2017, também foram condenados quatro ex-secretários (de Finanças, Governo, Meio Ambiente e Obras Públicas e Transportes), o então procurador-geral do Município e o responsável por articular os crimes. O ex-secretário de Finanças fez o acordo de delação premiada com o MP e atuou como colaborador das investigações.

Previous ArticleNext Article