TRF-4 mantém condenação de Dirceu e determina execução provisória da pena

Jordana Martinez

dirceu josé

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) negou, nesta quinta-feira (19), mais um recurso do ex-ministro Chefe da Casa Civil, José Dirceu, e manteve a pena anterior de 30 anos e noves meses de prisão pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e participação em organização criminosa, no âmbito da Operação Lava Jato.

A defesa de Dirceu ainda pode apresentar um último recurso, os embargos de declaração contra a rejeição dos infringentes, apenas protelando o encerramento do trâmite em segunda instância, já que o recurso não reverte a condenação.

A partir daí o juiz Sérgio Moro poderá decretar a prisão de Dirceu, já que o Supremo Tribunal Federal (STF) autoriza a execução provisória de pena após encerrado o trâmite em segunda instância.

Dirceu está preso desde agosto de 2015 no Complexo Médico-Penal em Pinhais, região metropolitana de Curitiba. Em maio do ano passado, José Dirceu foi condenado a 23 anos de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Em setembro de 2017, o TRF4 aumentou a pena para 30 anos e nove meses.

Segundo a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), Dirceu teve participação no esquema montada pela Engevix, uma das empreiteiras que formaram um cartel para fraudar licitações da Petrobras a partir de 2005.

 

Previous ArticleNext Article
Jordana Martinez
Profissional multimídia com passagens pela Tv Band Curitiba, RPC, Rede Massa, RicTv, rádio CBNCuritiba e BandNewsCuritiba. Hoje é editora-chefe do Paraná Portal.