TRF4 nega recurso da defesa para suspender prisão de Cunha

Francielly Azevedo


O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) negou, nesta quarta-feira (7), por maioria dos votos, um Habeas Corpus (HC) impetrado pela defesa do ex-presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha, para tirar o político da prisão. O recurso pretendia suspender a execução provisória da pena a qual o ex-deputado foi condenado. Cunha está preso desde 2016 no Complexo Médico Penal, em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

Em março de 2017, o juiz federal Sérgio Moro condenou Cunha pelos crimes de corrupção passiva, evasão fraudulenta de divisas e lavagem de dinheiro. O ex-presidente da Câmara foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF), no âmbito das investigações da Operação Lava Jato.

Cunha recorreu da sentença junto ao TRF4. Em novembro do ano passado, o tribunal julgou a apelação criminal e manteve a condenação, fixando o tempo de pena para 14 anos e seis meses de reclusão.

Em junho deste ano, a defesa dele impetrou o HC alegando que como um outro recurso em seu processo ainda não havia sido julgado pelo TRF4 naquela época, a jurisdição de segundo grau ainda não estava exaurida e assim, não seria possível a execução provisória da pena contra Cunha. Também foi pedida a antecipação de tutela, com a concessão liminar da suspensão da execução da pena.

O relator dos processos relacionados à Lava Jato no tribunal, desembargador federal João Pedro Gebran Neto, em junho, negou o pedido liminar. Já na sessão desta tarde, a 8ª Turma do TRF4 analisou o mérito do HC e decidiu, por maioria, negar o provimento.

Previous ArticleNext Article
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.
[post_explorer post_id="569394" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]