TRF4 nega recurso de Gerson Almada para suspensão de multa

Andreza Rossini e Assessoria


O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) negou nesta quarta-feira (26) recurso impetrado pelo ex-vice-presidente da Engevix, Gerson de Mello Almada, e manteve decisão de primeiro grau que determinou a execução provisória da pena de pagamento de multa e das custas processuais.

A defesa requeria a suspensão do pagamento até o trânsito em julgado da sentença. Segundo o relator, desembargador federal João Pedro Gebran Neto, não se faz distinção de qual o regime o réu foi condenado, devendo haver a execução provisória, seja de pena privativa de liberdade ou pecuniária.

Almada está preso desde março deste ano, após esgotados os recursos junto ao tribunal. Ele foi condenado em dois processos da Operação Lava Jato, envolvendo o núcleo Engevix, que participava do cartel de empreiteiras que fraudavam as licitações em contratos com a Petrobras.

A empreiteira é acusada de pagar mais de R$ 15 milhões e 247 mil de propina à Diretoria de Abastecimento da Petrobras comandada por Paulo Roberto Costa, em troca de contratos para execução de obras.

O empresário foi condenado a 23 anos e 10 meses por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa e de 29 anos e 8 meses, por corrupção e lavagem de dinheiro.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="556974" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]