Política
Compartilhar

Tribunal mantém pena de Cabral em 14 anos e dois meses de prisão

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), responsável pelo julgamento dos processos da Operação Lava Jato em segu..

Fernando Garcel - 30 de maio de 2018, 18:17

Foto: José Lucena/Futura Press/Folhapress
Foto: José Lucena/Futura Press/Folhapress

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), responsável pelo julgamento dos processos da Operação Lava Jato em segunda instância, manteve a condenação do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral em 14 anos e 2 meses de prisão por crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Nesta ação penal, a força-tarefa da Lava Jato investigou os contratos envolvendo os pagamentos de propina pela empreiteira Andrade Gutierrez para Cabral em troca do contrato de terraplanagem do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (COMPERJ), celebrado com o Consórcio Terraplanagem COMPERJ e a Petrobrás.

No mesmo processo, o TRF4 manteve a condenação de Wilson Carlos Cordeiro da Silva Carvalho, ex-secretário de gestão do RJ, que também teve a pena mantida, e Carlos Emanuel de Carvalho Miranda, sócio de Cabral, que teve a pena diminuída em um ano. A 8ª Turma negou o recurso do Ministério Público Federal (MPF) e manteve a absolvição de Adriana de Lourdes Ancelmo, mulher de Cabral, e de Mônica Araújo Macedo Carvalho, mulher de Carvalho.

Eles foram condenados pela 13ª Vara Federal de Curitiba por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em 13 de junho de 2017. Conforme a sentença, a empreiteira Andrade Gutierrez pagava propina ao ex-governador por meio dos outros réus para garantir o contrato de terraplanagem do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (COMPERJ), celebrado com o Consórcio Terraplanagem COMPERJ, integrado pela Andrade Gutierrez, e a Petrobrás.