Política
Compartilhar

Vaquinha para pré-campanha de Manuela será usada agora para tentar eleger Lula

O PCdoB tirou do ar nesta segunda-feira (6) a campanha de financiamento online para a pré-campanha de Manuela D'Ávila, e..

Folhapress - 06 de agosto de 2018, 20:32

SÃO PAULO, SP, 29.06.2018 - A pré-candidata à Presidência da República Manuela D&#039Ávila do Partido Comunista do Brasil (PC do B), durante encontro com estudantes na Casa do Saber, em São Paulo. (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, 29.06.2018 - A pré-candidata à Presidência da República Manuela D&#039Ávila do Partido Comunista do Brasil (PC do B), durante encontro com estudantes na Casa do Saber, em São Paulo. (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

O PCdoB tirou do ar nesta segunda-feira (6) a campanha de financiamento online para a pré-campanha de Manuela D'Ávila, e os R$ 45 mil arrecadados nos últimos meses serão usados agora para tentar eleger o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Manuela saiu da disputa pela Presidência após acordo no domingo (5) entre os dois partidos, mas até as 18h desta segunda, a deputada estadual não havia falado sobre a desistência nas redes sociais. Por volta das 15h, ela postou apenas um trecho do poema "Mãos Dadas", de Carlos Drummond de Andrade, e uma foto sua com Lula.

À Folha de S.Paulo, a assessoria de Manuela sustentou que ela "será a vice de qualquer maneira" na chapa com o PT. O PT, no entanto, anunciou no domingo o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad como vice de Lula, que está preso após condenação em segunda instância.

Segundo interlocutores do PT, o acordo fechado com o PC do B prevê Manuela como vice apenas se a candidatura de Lula for rejeitada pela Justiça Eleitoral e Haddad assumir a chapa. Com a condenação em segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá, Lula pode ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa.

A assessoria de Manuela informou que os R$ 45.021,65 arrecadados entre seus eleitores serão usados agora para despesas da deputada em sua campanha como vice de Lula. A utilização da verba, no entanto, ainda é passível de questionamento junto ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), já que a arrecadação do PC do B tinha como objetivo a pré-campanha e não seguia as regras para o uso no período de campanha -como utilizar uma empresa previamente registrada pela justiça eleitoral e deixar pública, no site, a lista de doadores.