Vereadora Kátia Dittrich diz que tentará reeleição e diz que condenação foi “complô”

William Bittar - CBN Curitiba e Redação

Kátia Dittrich camara vereadora rachadinha

A vereadora Kátia Dittrich (Solidariedade) disse que vai concorrer à reeleição na Câmara Municipal de Curitiba, mesmo após ser condenada a cinco anos e seis meses de prisão mais perda de mandato pela prática do esquema de “rachadinha“. A decisão da 11ª Vara Criminal de Curitiba saiu no dia 21 de fevereiro.

Conforme a denúncia do MPPR (Ministério Público do Paraná), ela exigiu parte dos salários de dois assessores lotados no gabinete dela no início do mandato da parlamentar, em 2017.

“Recebi muitas mensagens de apoio porque a população já percebeu que isso se trata de um complô. Eu continuo trabalhando e resgatando animais, na chuva e no sol. Eu sou inocente e vou provar isso”, disse ela à CBN Curitiba.

O marido de Katia Dittrich, Marcos Pinheiro Whiters, também foi condenado pelo juiz José Daniel Toaldo. O homem teria auxiliado na “rachadinha” no gabinete da vereadora. Além disso, ambos terão de pagar multas: R$ 21 mil para ela e R$ 18 mil para ele.

O casal foi implicado pelo crime de concussão, que é a exigência de vantagens indevidas, de forma direta ou direta, praticada por um servidor público. Katia Dittrich e Marcos Pinheiro Whiters ainda podem recorrer da decisão.

CONDENADA POR “RACHADINHA”, VEREADORA VAI RECORRER

Dante D’Aquino, advogado que representa a vereadora de Curitiba condenada por concussão entendeu que sentença foi exagerada e afirmou que iria recorrer contra o decreto de prisão e a perda do mandato.

“Respeitamos a decisão, mas entendemos que não há provas para a condenação. Foram imputados quatro fatos contra Katia Dittrich. Em dois deles a vereadora foi absolvida por ausência de provas. Entendemos que não há provas para nenhum dos fatos denunciados”, disse ao Paraná Portal após a condenação.

Previous ArticleNext Article