Política
Compartilhar

Vídeo em que Bolsonaro teria ameaçado Moro é exibido em Brasília

Na manhã desta terça-feira (12), o vídeo da reunião ministerial em que Jair Bolsonaro (sem partido) teria ameaçado demit..

Redação - 12 de maio de 2020, 08:36

(Brasília - DF, 18/12/2019) Lançamento da Campanha Agenda Positiva Regional - 2019.
Foto: Carolina Antunes/PR
(Brasília - DF, 18/12/2019) Lançamento da Campanha Agenda Positiva Regional - 2019. Foto: Carolina Antunes/PR

Na manhã desta terça-feira (12), o vídeo da reunião ministerial em que Jair Bolsonaro (sem partido) teria ameaçado demitir o então ministro da Justiça Sergio Moro foi exibido. Segundo Moro, a ameaça foi realizada caso ele não trocasse os postos de comando da PF (Polícia Federal).

O ministro Celso de Mello autorizou a exibição do vídeo, porém, de maneira reservada. Apenas a  a AGU (Advocacia-Geral da União), PGR (Procuradoria-Geral da República), a equipe responsável pelo inquérito e Moro tiveram acesso ao arquivo.

O registro do dia 22 de abril foi entregue pelo Planalto ao STF (Supremo Tribunal Federal) na ultima sexta-feira (8) e encaminhado nesta segunda-feira (11) à PF.

Após a exibição, o vídeo irá passar por degravação, que será feita pelo Instituto Nacional de Criminalística.

INTERFERÊNCIA POLÍTICA DE BOLSONARO NO COMANDO DA PF

As acusações de interferência política contra Bolsonaro foram feitas por Moro durante sua demissão do Ministério da Justiça e da Segurança Pública no dia 24 de abril.

Em seguida, um inquérito foi aberto para apurar se de fato houve interferência por parte do presidente na PF. Durante seu depoimento, Moro afirmou que Bolsonaro pressionou a troca do comando do Rio de Janeiro durante a reunião ministerial.

Por isso, Celso de Mello determinou que o governo entregasse a gravação. Até o momento, o vídeo é mantido em sigilo, porém, o ministro disse que ainda vai decidir se divulgará o registro.

Nesta terça-feira (12), dando continuidade às oitivas do inquérito, serão ouvidos os ministros Walter Braga Netto -Casa Civil-, Augusto Heleno -Gabinete de Segurança Institucional- e Luiz Eduardo Ramos -Secretaria de Governo.