“Prende hacker, mas não responde quem matou parlamentar”, cobra viúva de Marielle

Angelo Sfair

viúva de marielle franco mônica benício luiz inácio lula da silva visita curitiba leonardo padura foto ricardo stuckert

A viúva de Marielle Franco, Mônica Benício, esteve nesta quinta-feira (15) em Curitiba para visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ela fez críticas à prisão do petista, que está detido há 495 dias, desde que foi condenado em segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro. Além disso, cobrou respostas sobre a morte da ex-vereadora do Rio de Janeiro (RJ).

Ao deixar o prédio da PF (Polícia Federal) na capital paranaense, ela conversou com militantes da Vigília Lula Livre – grupo de apoio ao petista instalado em um terreno vizinho à superintendência. Mônica afirmou que alguns pontos ligam Lula à Marielle: “luta, resistência e injustiça”.

A arquiteta e ativista disse que deixou a carceragem inspirada a seguir lutando. Mônica Benício também comentou as investigações relacionadas à Marielle – a ex-vereadora foi executada em 14 de março de 2018. Passados 520 dias, o caso ainda não foi esclarecido.

“Além de muito doloroso é profundamente vergonhoso. Não apenas como ex-companheira, mas como brasileira, é terrível perceber que a gente consegue prender hacker, mas não consegue responder quem foi que matou uma parlamentar eleita”, disse a viúva de Marielle Franco.

“Então eu não sei se a gente não consegue ou se a gente não quer. E aí eu acho que a cobrança, mais do que nunca, se faz necessária. Porque à medida que o tempo passa gera uma sensação de conformismo que não pode acontecer”, ponderou Mônica Benício.

Viúva e Marielle visitou Lula ao lado de escritor cubano

Ao deixar a sede da Polícia Federal em Curitiba, Mônica Benício disse que viu em Lula um homem “forte e obstinado”. O discurso foi reforçado pelo escritor cubano Leonardo Padura, que compartilhou a visita ao ex-presidente nesta quinta-feira (15).

“Vimos um homem com força, com desejo de lutar e uma grande convicção”, resumiu Padura.

O autor de ‘A Neblina do Passado’ também foi o responsável por repassar o recado de Lula aos militantes da Vigília.

“Ele tem um grande carinho e uma grande admiração. Foi uma das primeiras coisas que ele disse quando sentamos para conversar com ele”, compartilhou o cubano, ao lado da viúva de Marielle Franco.

+ Leia também:

Previous ArticleNext Article