Política
Compartilhar

WhatsApp bane contas que dispararam mensagens a favor de Cesar Silvestri Filho

Contatos comerciais de origem no Rio de Janeiro e em São Paulo teriam enviado recados com foco na pré-campanha do tucano ao Governo do Paraná. 

Redação - 17 de maio de 2022, 15:12

(Foto: Pixabay)
(Foto: Pixabay)

O WhatsApp baniu as contas que dispararam mensagens a favor do pré-candidato ao Governo do Paraná, Cesar Silvestri Filho (PSDB). A informação é do jornal O Globo e foi publicada nesta terça-feira (17) pelo colunista Lauro Jardim

Na sexta-feira (13), contatos comerciais de origem no Rio de Janeiro e em São Paulo teriam enviado recados com foco na pré-campanha do tucano. 

As contas no WhatsApp teriam como foto perfil a bandeira do estado do Paraná e dispararam mensagens em três horários próximos (17 horas, 17h16 e 17h17). O período coincide com o que o PSDB, partido do pré-candidato Cesar Silvestri Filho, passou a veicular propagandas instituicionais no rádio e na televisão locais.

O conteúdo enviado é um dos próprios vídeos que é veiculado nas emissoras, em que Silvestri se apresenta como "terceira via" ao governador Ratinho Junior (PSD) e ao ex-governador Roberto Requião (PT), seguido de uma mensagem com os dizeres: "A campanha nem começou. Mas muita coisa vai mudar. Confira!".

De acordo com determinação do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o disparo de mensagens com conteúdo eleitoral, sem consentimento do político, é proibido. Segundo o WhatsApp, a prática pode ser denunciada por usuários.

A assessoria de Cesar Silvestri Filho informou que ele não é o autor das mensagens enviadas.

MUDANÇAS NO WHATSAPP DEVEM ACONTECER APÓS AS ELEIÇÕES

O WhatsApp terá mudanças após as eleições de outubro deste ano. Até o final do ano, ficará disponível o compartilhamento de mensagens para grupos com interesses em comum, a partir de uma ferramenta chamada 'Comunidades'.

Em abril, o aplicativo informou que nenhuma mudança será feita antes do pleito no país para não ter nenhum tipo de interferência nas campanhas eleitorais. Uma informação chegou a circular de que esse adiamento ocorreu por conta de um acordo com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

O WhatsApp disse que a decisão foi única da empresa e que não houve acordo nenhum. O que houve, apenas, foi a assinatura de um memorando com a Justiça Eleitoral no início do ano, para que sejam denunciadas contas suspeitas ou falsas que interfiram no processo eleitoral.

Isso repercutiu negativamente por parte do presidente Jair Bolsonaro (PL), que chegou a chamar de "inadmissível" que seja aberta uma excepcionalidade neste sentido apenas no Brasil.