Zambelli diz que seu celular está à disposição das autoridades após pedido de senador

Vinicius Cordeiro

zambelli bolsonaro ato

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) respondeu ao senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que pediu ao STF (Supremo Tribunal Federal) para que a PGR (Procuradoria-Geral da República) emita mandado de busca e apreensão do celular dela. No pedido, ele ressaltou que a medida pode ser essencial para revelar eventuais crimes praticados por ela, Sergio Moro ou Jair Bolsonaro.

Como eu disse, ele já está à disposição das autoridades. Não tenho nada a esconder dos homens e mulheres da lei. Será que o próprio senador teria a coragem de abrir sua vida dessa forma?”, questionou ela.

Zambelli foi envolvida no rompimento entre o presidente Jair Bolsonaro e o ex-ministro Sergio Moro, da Justiça e Segurança Pública.

Isso porque Moro divulgou, à TV Globo,  mensagens trocadas com a deputada para comprovar que não aceitou a demissão de Maurício Valeixo da diretoria-geral da PF (Polícia Federal) em troca de uma indicação do presidente a uma vaga no STF.

Em uma das mensagens, Zambelli apelou a Moro: “por favor ministro, aceite [Alexandre] Ramagem”, referindo-se ao diretor da Abin (Agência Brasileira de Inteligência). Ramagem é o favorito de Bolsonaro a assumir a chefia da PF.

“e vá em setembro para o STF. Eu me comprometo a ajudar, a fazer JB [Jair Bolsonaro] prometer”, completou Zambelli na resposta.

A resposta de Moro foi definitiva: “prezada, não estou à venda”.

Por fim, vale lembrar que Moro foi padrinho de casamento de Zambelli  com o coronel Antônio Aginaldo de Oliveira, diretor da Força Nacional de Segurança.

Previous ArticleNext Article