Gaeco entra no setor de inteligência da prefeitura de Curitiba para investigar contratos irregulares

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) cumpriu, nesta quinta-feira (30), mandados de busca e..

Jordana Martinez - 30 de junho de 2016, 13:29

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) cumpriu, nesta quinta-feira (30), mandados de busca e apreensão na sede do Instituto Curitiba de Informática (ICI), responsável pelo setor de tecnologia da informação da prefeitura de Curitiba. Também foram cumpridos mandados em outros cinco escritórios, entre eles o do diretor-presidente do ICI, Luís Mário Luchetta, além das empresas Minauro e Consult, de Haroldo Jacobowski. Foram apreendidos vários contratos e computadores.

Segundo o coordenador do Gaeco, Leonir Batisti, a investigação busca provas de irregularidades em contratos com a prefeitura de Curitiba, já apontadas  pelo Tribunal de Contas do Paraná. "São contratos não licitados, porque a lei assim permite nesse caso, entretanto nós estamos investigando se não está acontecendo como meio de superfaturar valores... abrem margem para diversas irregularidades nos contratos... as terceirizações, quarteirizações deles e quinteirizações, que é um aspecto irregular já. É computador, é contrato, é atrás disso que nós estamos", afirmou o procurador.

O relatório do Tribunal de Contas apontou 490 irregularidades em auditoria realizada nos contratos. Para os auditores, que aconselharam a administração própria da tecnologia da informação, a contratação do instituto não é vantajosa para administração municipal. Entre as supostas irregularidades estão desde a subcontratação de serviços até a aquisição de softwares desenvolvidos pela própria prefeitura.

O outro lado

Em nota, o ICI informa que disponibilizou todas as informações e documentos solicitados pelo Ministério Público do Estado do Paraná. Informa ainda que a instituição se prontificou a contribuir com as autoridades e ressalta que sua atuação está dentro da legalidade.