Simpósio Sul-Brasileiro de Olericultura reuniu mil participantes

Mariana Ohde


Cerca de mil pessoas participaram, nesta semana, do Simpósio Sul-Brasileiro de Olericultura, organizado pelo departamento de Agricultura da Universidade Estadual de Maringá (UEM).

Agrônomos, pesquisadores, alunos de graduação e pós-graduação (mestrado e doutorado) e agricultores participaram das atividades que tiveram início na terça-feira (29), com um Dia de Campo para 650 produtores de hortaliças de municípios da região de abrangência das atividades da UEM.

Hoje, acontecem workshops e minicursos, que já estão com vagas lotadas, que abordarão temas como estratégias de comércio, cuidados com a plantação, hidroponia (sistema de plantação sem terra, as raízes ficam na água e com soluções fertilizantes adicionados) entre outros assuntos. As atividades são realizadas no bloco B33, da UEM, no Programa de Desenvolvimento Educacional (PDE).

Durante o evento foram apresentadas cerca de 120 pesquisas, 10 palestras e cinco mesas redondas, para ajudar os agricultores a ter um melhor aproveitamento da plantação. Para o professor Rerison Catarino da Hora o evento foi um grande sucesso.

“Reunimos profissionais que atuam na área de Olericultura de vários estados brasileiros, como Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, e professores e pesquisadores do Paraguai para conhecer as pesquisas desenvolvidas na UEM”.

O objetivo do Simpósio foi apresentar ações e técnicas que contribuam para aumentar a produtividade das plantações, ou seja, melhorar o desempenho da produção, por meio, do uso correto da água e fertilização, com a proteção dos lençóis freáticos, segundo o professor.

“Temos um grande problema. Uma plantação de hortaliças que deveria produzir 1 quilo, está produzindo, em média 500 a 600 gramas. Metade da capacidade da hortaliça. Precisamos desenvolver a ciência para melhorar a capacidade de produção”.

Para o professor José Usan Torres Brandrão Filho, coordenador do evento, ter um melhor aproveitamento da produção das hortaliças é fundamental para um desenvolvimento social mais sustentável. “Nascem em média 215 mil pessoas no mundo, desenvolver métodos que otimizem o aproveitamento da produção de alimentos é uma necessidade urgente”.

O Simpósio é uma atividade que integra as ações do Programa de Apoio ao Pequeno Produtor Rural de Horticultura que recebe apoio do Governo do Paraná, por meio do Fundo Paraná. Com um investimento de cerca de R$ 1,5 milhão, o projeto já atendeu 40 municípios e mais de 500 agricultores. O programa realiza atendimentos em clínicas, para orientar sobre tratamentos corretos contra fungos, pragas e doenças em hortaliças.

O professor Ademir Massario Moribe relata que a equipe de agrônomos e estudantes de graduação e pós-graduação, do curso de Agronomia da UEM já estiveram em 10 municípios para analisar infestações de pragas e doenças. “Já fizemos visitas técnicas em propriedades rurais de tomate, pimentão, goiaba, abacaxi e alface, evitando a perda da plantação”. O programa desenvolveu montagens de hortas didáticas adaptadas para crianças e idosos.

Mais informações podem ser obtidas no site ou pelos telefones (44) 3011-8916 e 3011-5489.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal