Após decisão da Justiça, UEM envia dossiês para integrar Meta-4

Mariana Ohde

A instituição deixou claro que enviou os dossiês por imposição da decisão judicial, mas entende que o Meta-4 tira a autonomia da universidade.

Por Eduardo Xavier, Metro Maringá

A UEM (Universidade Estadual de Maringá) encaminhou nesta segunda-feira (19) os dossiês para integração da instituição ao Meta-4, sistema de gestão de recursos humanos do governo do estado.

Segundo a assessoria de comunicação da UEM, a reitoria enviou no último domingo (18) ofício on-line à Seap (Secretaria de Estado da Administração e Previdência) para informar o cumprimento da decisão liminar da 3ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba.

A Justiça deu prazo até domingo para a UEM encaminhar os documentos solicitados pelo governo. Por cada dia de atraso, o reitor Mauro Baesso teria que pagar multa de R$ 500. A instituição deixou bem claro que enviou os dossiês via correio ontem por imposição da decisão judicial e entende que o Meta-4, software para gestão de folhas salariais contratado pelo estado, tira a autonomia da universidade.

Para não entrar no sistema, a instituição vinha usando como argumento uma decisão de 1992 TJ-PR (Tribunal de Justiça do Paraná), que reconheceu a autonomia universitária da UEM e da UEL (Universidade Estadual de Londrina).

O governo do estado entrou com recurso que tramita no STF (Supremo Tribunal Federal). Os salários de janeiro dos cerca de 4,2 mil servidores da UEM atrasaram. Os subsídios, que eram para ter sido pagos em 31 de janeiro, foram depositados em 5 de fevereiro por conta do impasse de adesão ao Meta-4.

O Sinteemar (Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de Maringá) tinha aprovado greve a partir de 5 de fevereiro, mas o movimento foi desfeito porque os salários foram depositados.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal