Centro Educacional criado por Belmiro Castor sofre com falta de apoio empresarial

Pedro Ribeiro


A falta de apoio de empresários e instituições públicas de Curitiba poderão levar o Centro Educacional João Paulo II, criado há 12 anos pelo professor Belmiro Castor para atender jovens em situação vulnerável e com potenciais de conhecimento e aprendizagem, a ser transferido para um grupo empresarial paulista que vem expandindo negócios na área educacional em todo o país.

Quem lamenta profundamente esta falta de apoio são os dirigentes do Centro Educacional, Antonio de Freitas, Elizabete Castor e o  jornalista e professor Aroldo Murá. Ao longo dos anos, ao lado de um seleto grupo de conselheiros, eles vem se dedicando de alma e coração na tentativa de manter a escola que, hoje, abriga perto de 300 alunos.

A transferência da escola ao grupo paulista teria sido proposto em reunião dos integrantes  conselho que também vem tentando manter seu funcionamento normal e, agora, chegaram à conclusão que, com a falta de apoio e integração de empresários, o projeto poderia sofrer ainda mais.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="785245" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]