Com DJ e juíza mandona, Festival terá um campeonato “Interdrag de Gaymada”

Guilherme Grandi


A Praça Osório e o Passeio Público receberão uma onda colorida e brilhante durante o Festival de Teatro de Curitiba, que começa no fim do mês: o “Campeonato Interdrag de Gaymada”. Será uma partida de queimada encenada por ‘drags’, as figuras mais marcantes e divertidas da cena gay.

O trabalho, apresentado pelo coletivo de artes Toda Deseo, surgiu em Belo Horizonte envolvido com questões relacionadas às pessoas trans. Habitualmente o grupo faz suas intervenções em espaços públicos, a fim de que a sociedade se envolva de forma cultural com a comunidade LGBTQI. De acordo com Rafael Lucas Bacelar, integrante do movimento, o campeonato “é uma inspiração nas ocupações artísticas realizadas pelo coletivo na capital mineira”. “Tem também o objetivo de promover uma convivência entre diferentes corpos, para discutir questões sobre a diversidade sexual”, completa.

O campeonato terá toda a estrutura necessária para um evento esportivo: com uma chave de oito times de seis pessoas, a presença de quatro líderes de torcida, uma DJ e uma juíza, a partida terá um pocket show dos atores em cada intervalo. O elenco é formado pelo próprio Rafael, como a juíza da partida, a dj Ju Abreu, e os atores Cristal Lopes, David Maurity, Ronny Stevens e Thales Brener Ventura.

"Gaymada" se propõe a uma intervenção para mostrar que não há diferença entre esportes heteros e gays. [foto: Isabella Leite/divulgação]
“Gaymada” se propõe a uma intervenção para mostrar que não há diferença entre esportes heteros e gays. [foto: Isabella Leite/divulgação]

‘Gaymada’ já foi visto por cerca de 15 mil pessoas em apresentações pelo país. Segundo David Maurity, “o campeonato surgiu a partir de um piquenique em uma praça de BH, muito espontâneo”. “Um amigo nosso contou de uma experiência que teve quando era jovem, de que queimada era um jogo de ‘bichinha’, só porque era uma modalidade tida como de menina”, completa. A primeira edição do evento teve mais de mil pessoas confirmadas pelas redes sociais, logo após do piquenique dos amigos.

“Além do que, sempre houve um preconceito de que a população LGBT só vive na noite, só se diverte na noite, o que não é verdade”, diz David. O campeonato, desta forma mais divertida, é “para mostrar que a gente também existe de dia, para trazer a comunidade LGBT para o dia, para que o restante da sociedade veja que estas pessoas também se divertem de dia, estão presentes nos espaços públicos”, completa.

Para o jogo, há toda uma cerimônia de preparação, com o hasteamento da bandeira do orgulho gay, a apresentação dos times e das líderes de torcida. “É uma intervenção cênico-performática”, explica Davir Maurity.

No Festival de Teatro de Curitiba, a intervenção ocorrerá no dia 29 de março, às 16h, na Praça Osório, e no 30, no mesmo horário, no Passeio Público. A entrada é de graça.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="4419" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]