Déficit público de R$ 170, 5 bilhões e juros da dívida beirando a R$ 2 bilhões por dia é o desafio do governo

Redação


Uma coisa é certa. Se esta equipe econômica do governo federal não resolver o problema, podemos tirar o cavalo da chuva, pois ninguém mais seria capaz de tirar o país deste buraco. Na próxima semana, o governo federal enviará ao Congresso Nacional proposta para que as contas públicas tenham um déficit de R$ 170,5 bilhões este ano. Um número que nos remete a um problema muito maior do que se imagina e que, até agora, não entendemos até aonde o governo petista queria chegar. Este déficit, segundo analistas econômicos, é bem maior, quase o triplo do déficit proposta pela então presidente Dilma Rousseff que enviou ao Congresso Nacional projeto de lei pedindo autorização para que as contas públicas tivessem um déficit de R$ 96,6 bilhões em 2016. Em entrevista ao G1, o economista Judas Thadeu Grassi disse que “o número de R$ 170 bilhões é seguramente realista. A coisa boa é o grau de seriedade, essa é a guinada. Mostra que o governo anterior era a mentira de todo ano que se iniciava apresentar a meta de superávit sabendo que ia ter déficit. A coisa agora parece bem mais realista. Demonstra que o governo anterior tinha realmente um descontrole total. Esse número de R$ 170 bilhões é ainda mais preocupante porque não está computando os juros. No ano passado, nós pagamos R$ 540 bilhões somente de juros. Neste ano, vai ser próximo a R$ 600 bilhões. Com a Selic alta como está, a dívida está aumentando por dia próximo a R$ 2 bilhões.”

Previous ArticleNext Article