Delegado-geral da Polícia Civil diz que tiro de investigadora contra festa é inadmissível

Narley Resende


O delegado-geral da Polícia Civil Julio César dos Reis disse em nota nesta quarta-feira (28) que a atitude da policial que atirou contra uma festa e atingiu uma mulher na cabeça é inadmissível.

Para garantir que as investigações contra a investigadora não fossem prejudicadas, Reis determinou que ela fosse removida para o grupo de recursos humanos, onde exercerá apenas funções internas e administrativas, sem prejuízo de outras medidas a serem realizadas pelo presidente do Inquérito Policial e ainda pelo corregedor-geral que pode decidir pelo afastamento.

“É inadmissível que um policial civil treinado para servir e proteger tome atitudes que coloquem em risco a proteção da população”, ressaltou o delegado-geral.

A direção da Polícia Civil enfatizou na nota que “qualquer ato em desconformidade com as regras de conduta contidas nas leis e no estatuto da Polícia Civil será rigorosamente apurado”.

Imagens de câmeras de segurança mostram o momento em que uma investigadora da Polícia Civil atira na cabeça de uma mulher após se irritar com o barulho de uma festa de confraternização, na última sexta-feira (23) no bairro São Francisco, em Curitiba.

A policial civil deve responder em liberdade por tentativa de homicídio. A vítima, Rosária Miranda da Silva, de 50 anos, teve perda de massa encefálica e está internada em estado gravíssimo na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Cajuru. Ela é copeira de uma empresa que fazia uma confraternização de fim de ano.

 

Previous ArticleNext Article