Operação prende integrantes de quadrilha comandada por presos

Andreza Rossini


*Atualizado às 11h50 

Uma operação deflagrada na manhã desta sexta-feira (27), pela Divisão de Narcóticos (Denarc), cumpriu 49 mandados judiciais contra uma quadrilha de traficantes de drogas no litoral do Paraná.

Foram 19 mandados de prisão, 24 de busca e apreensão e outros seis de sequestro de veículos utilizados pela organização criminosa. De acordo com a Polícia, ainda faltam cumprir 3 mandados de prisão e todos os integrantes da quadrilha já foram identificados.

Mais de cem quilos de maconha, cocaína, armas e munição foram apreendidos durante o cumprimento dos mandados.

Um dos alvos da operação é Rafael Rodolfo de Castro, vulgo Some – apontado pela Denarc como chefe da quadrilha. Preso na Penitenciária Estadual de Piraquara (PEC), na Região Metropolitana de Curitiba, ele já foi condenado pelos crimes de roubo, latrocínio, porte de armas e tráfico de drogas. Some teria função de liderança dentro de uma organização criminosa que atua dentro e fora dos presídios.

“De dentro da penitenciária ele organizava toda a quadrilha que age no litoral. Ele que recebia e dava as ordens. Através de contato telefônico ele comandava toda a logística de recebimento, aquisição e transporte da droga. Ele mantinha contato com fornecedores e também negociava a remessa. Quem recebia a droga no litoral era o braço direito dele”, afirmou a delegada Camila Cecconello. “Rafael se dizia dono de parte de Pontal do Paraná, em vários balneários as pessoas só vendiam drogas com autorização dele”, complementou.

Toda a negociação para a compra da droga e o comando e coordenação dos pontos de venda no Litoral passava por ele. Na mesma cela de Some, está Wagner José Vital, vulgo Psico, que seria sócio de Some. Psico foi condenado pelos crimes de falsificação de documento público, homicídio e tráfico de drogas.

Ainda de acordo com a polícia, outro preso que negociava o envio de drogas para o Litoral do Estado é Alessandro da Silva Oliveira, vulgo caixão. Ele está detido na Penitenciária de Foz do Iguaçu e possui condenações pelos crimes de homicídio e tráfico de drogas. Durante as investigações, Caixão negociou a venda de drogas para diversos traficantes dos Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Os alvos que já estavam detidos receberam mais um mandado de prisão por tráfico de drogas e associação ao tráfico. Um outro inquérito policial investiga onde o dinheiro fruto do tráfico era investido.

Segundo o Denarc, no Litoral, o encarregado de atender as ordens de Some e coordenar o tráfico de drogas é João Geraldo Oliveira Silva, mais conhecido como “Véio”. Ele, que tem passagem pela polícia por tráfico de drogas, tinha como função dentro da quadrilha articular toda rede criminosa de distribuição de entorpecentes no Litoral.

“Véio” recebia quinzenalmente a droga enviada por Some de Curitiba para o Litoral. As pessoas responsáveis por este transporte também são alvos de mandados de prisão.

A ação policial acontece em Curitiba, Paranaguá, Matinhos, Pontal do Paraná e na cidade de Pato Bragado, região Oeste do Paraná. Mais de 60 policiais participam da força-tarefa.

 

 

Previous ArticleNext Article