Denúncias de violência contra crianças e adolescentes crescem 205% no Paraná

Mariana Ohde


O número de denúncias de violência contra crianças e adolescentes cresceu 205% no Paraná em fevereiro e março, em comparação com o mesmo período do ano passado. Os dados são da Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social, coletados por meio do Disque 181.

Os tipos de violência que registraram os maiores aumentos nos números de denúncias foram a negligência e o abuso sexual – nove vezes e oito vezes mais, respectivamente. As denúncias de exploração sexual triplicaram e as de agressão física dobraram.

Em 2016, a maioria dos contatos era proveniente da capital Curitiba. Em 2017, os municípios do interior lideraram o ranking de denúncias.

Campanha de conscientização

Segundo a secretaria, o aumento pode atribuído à campanha de combate à exploração sexual de crianças e adolescentes nas estradas, em fevereiro. O coordenador da política da criança e do adolescente da Secretaria, Alann Bento, explica que o resultado mostra que a população aderiu. “Nosso objetivo é tirar os casos de violências e violações de direitos da invisibilidade. É fazer com que as pessoas, ao ser depararem com estas situações no seu dia a dia, não fiquem indiferentes, mas denunciem”, destaca.

De acordo com o relatório da campanha, apenas dois meses após o lançamento, o filme publicitário havia alcançado quatro milhões de visualizações nas redes sociais e o hotsite chegou a 26 mil acessos.

Ação dos voluntários

Bento ressaltou a importância de apoiadores voluntários, que têm utilizado ou reproduzido os materiais da campanha, ampliando o alcance junto à população. “Além da forte adesão das prefeituras, secretarias e órgãos estaduais, a mobilização ganhou reforço com o apoio voluntário de uma grande empresa privada, a Klabin”, completa.

No início de março, a indústria de celulose e maior produtora e exportadora de papéis do Brasil usou materiais informativos em uma ação interna de conscientização com colaboradores e parceiros, em Paranaguá, Litoral do Estado.

Também foram parceiras as concessionárias Ecovia Caminho do Mar S/A e Ecocataratas, que distribuíram os folhetos nas praças de pedágio que administram, durante todo o período do Carnaval.

 

Campanha

A inciativa da Secretaria da Família surgiu a partir de um estudo divulgado em 2014 pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), que apontou o Paraná como o terceiro estado com os maiores índices de vulnerabilidade à exploração sexual nas estradas.

Diversas ações em todo o Paraná alertaram a população a respeito desta prática e incentivaram as denúncias, por meio de outdoors, folders, cartazes, além do hotsite e do filme publicitário. A ação teve a aprovação do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca) e recursos do Fundo Estadual para a Infância e Adolescência (FIA).

Como denunciar a violência

Para denunciar qualquer situação ou suspeita de violência ou violação de direitos contra crianças e adolescentes, basta ligar para o número 181 – Disque-Denúncia, serviço do governo. A ligação é gratuita e pode ser feita de qualquer município do Paraná. O atendimento funciona 24 horas, todos os dias da semana, com garantia de sigilo das informações e de quem faz a denúncia.

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="426413" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]