Depois de toque de recolher no CIC PM intensifica policiamento em Curitiba

Roger Pereira


O 1º Comando Regional da Polícia Militar do Paraná desencadeou em sua área de atuação a operação “Curitiba Contra o Crime II”, que intensifica o policiamento em todos os bairros da capital. As atividades tiveram início na tarde desta quarta-feira (06), no quartel do Comando-Geral, no Bairro Rebouças, em Curitiba. Não há data para acabar. Com a operação, a Polícia Militar colocou mais 250 policiais, 50 motocicletas e 45 viaturas nas ruas.

A operação busca prevenir roubos, furtos e tráfico de drogas, além de capturar foragidos da justiça, mas com foco contra o patrimônio. “Estes crimes tem crescido em todo o Estado e, de forma geral, no Brasil, em virtude das circunstâncias que estamos passando. O objetivo principal é inibir estes delitos através de uma massificação de policiamento ostensivo”, disse o subcomandante geral da PM, coronel Arildo Luis Dias.

Participam das ações o quatro Batalhões da PM (12º,13º, 20º e 23º), Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran) e Batalhão de Operações Especiais (BOPE). “Concentramos as equipes policiais no horário de maior índice do cometimento deste tipo de crime. Teremos em toda Curitiba uma massificação da presença policial. Nos próximos dias faremos o acompanhamento dos resultados obtidos e readequaremos a operação caso seja necessário”, destacou o coronel Arildo.

Os policiais militares deslocaram-se para diferentes áreas de Curitiba. Serão feitas abordagens de pessoas e veículos, vistorias em estabelecimentos comerciais, bloqueios e saturações.

Ainda segundo o subcomandante da PM, a operação também visa integrar os policiais militares que farão o acompanhamento da Tocha Olímpica. “Esta atividade vai demandar um efetivo grande para garantir segurança às pessoas que assistirão a passagem da tocha e fluidez do trânsito por onde vai passar o comboio”, explicou.

Um dos bairros da capital que recebe a operação é a Cidade Industrial de Curitiba, “para que as pessoas sintam ainda mais segurança devido aos recentes boatos disseminados sobre a região”, diz a PM, sobre o suposto toque de recolher na região, decretado por traficantes de drogas após a morte do líder de uma das quadrilhas, na segunda-feira, mas negado pelas autoridades estaduais, apesar de alunos e professores de escolas da região contarem que as aulas foram suspensas. “Desde a morte ocorrida na CIC, a Polícia Militar atua diuturnamente para mostrar à comunidade que estamos presentes e faremos sempre o melhor para atendê-la, além do policiamento base que já existia e continua ocorrendo no bairro”, ressaltou o comandante do 23º BPM, tenente-coronel Paulo Lemos de Camargo.

Previous ArticleNext Article
Roger Pereira
Repórter do Paraná Portal