Diretores de colégios agrícolas e florestal iniciam cursos para educação no campo

Mariana Ohde


Cerca de 200 profissionais que atuam em instituições da rede estadual de ensino – que ofertam a formação técnica em Agropecuária e Floresta – iniciam nesta terça-feira (27), em Curitiba, uma série de cursos relacionados ao Eixo Tecnológico Recursos Naturais. A formação termina na sexta-feira (30).

A abertura da programação foi realizada na noite desta segunda-feira (26), com a presença de professores, diretores, palestrantes, técnicos pedagógicos dos Núcleos Regionais de Educação e da Secretaria de Estado da Educação que trabalham no Departamento de Educação e Trabalho (DET). A cerimônia contou com a apresentação cultural do coral do Colégio Estadual Paula Gomes, de Curitiba.

A superintendente da Secretaria de Educação, professora Inês Carnieletto, lembrou que a formação vai proporcionar novos subsídios e informações voltadas às práticas educacionais dessas unidades, que vão contribuir com avanços da educação profissional no campo e desenvolvimento rural do Estado. “Este é um evento importante que permite a constante formação dos nossos profissionais que trabalham na área da educação agropecuária e florestal. Representa um avanço na educação profissional técnico em nível médio que culmina com a aprendizagem dos estudantes”, destacou Inês.

Cursos

Durante a semana os profissionais vão trabalhar questões específicas voltadas à temática de recursos naturais aliadas às especificidades do ensino no campo. Os estudos incluem temas como a integração interdisciplinar, incentivo à pesquisa, gestão escolar, aquisição de recursos, organização e administração, articulação pedagógica e empreendedorismo em pequenas propriedades rurais, entre outras.

“Esse encontro é importante porque fortalece o diálogo entre a Secretaria da Educação e as instituições que ofertam os cursos voltados para educação do campo cumprindo a nossa missão de educadores contribuindo para a formação e possibilitando que esses estudantes, após concluir essa etapa de ensino, estejam aptos a se inserir no mundo do trabalho e contribuir com o desenvolvimento do Estado”, disse a chefe do Departamento de Educação e Trabalho, Cândida de Carvalho Junqueira.

Meta

A oferta de curso para formação continuada está prevista no programa Minha Escola Tem ação (META), da Secretaria da Educação, e no convênio firmado entre o Ministério da Educação (MEC), por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) com a pasta. Os cursos terão duração de 40 horas que serão somadas ao plano de carreira dos participantes.

Além da progressão no plano de carreira, a formação vai proporcionar os subsídios necessários para o desenvolvimento qualitativo das práticas profissionais e o aperfeiçoamento das ações pedagógicas, principalmente, o incentivo à pesquisa científica por meio de projetos inovadores que apresentem soluções para as demandas existentes nas áreas de agropecuária e floresta.

Formação

Para o diretor do Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) Newton Freire Maia, em Pinhais, na região de Curitiba, além de novas informações específicas para as demandas das unidades agrícolas, a formação vai permitir a troca de experiência entre os profissionais. “Esse curso tem um objetivo muito pertinente que é fazer o intercâmbio de informações entre os diretores, técnicos de campo e coordenadores dos cursos levando em conta que cada escola tem sua particularidade e nessas trocas de experiências todos enriquecem seu trabalho”, lembrou.

A coordenadora da Casa Familiar Rural de São Jorge do Patrocínio, no Noroeste do Estado, Fátima Feiber Moraes, destacou a importância de trabalhar questões que são vivenciadas diariamente nas instituições.

“Acho que essa formação será muito proveitosa porque vamos trabalhar, por exemplo, com a metodologia do regime de alternância, que é o que trabalhamos hoje”, disse.

A Casa Familiar Rural de São Jorge do Patrocínio atende 74 estudantes que permanecem uma semana na escola onde fazem o ensino médio integrado ao curso técnico em Agropecuária integrado ao ensino médio, e outra semana em casa colocando em prática os conhecimentos do curso.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal