“Eu ouço vocês” diz Lula em carta a militantes acampados

Roger Pereira

No dia em que o acampamento de militantes que protestam contra a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sofreu um grande risco de desmobilização, com a decisão da Justiça de determinar o levantamento do acampamento, sob o rico de aplicação multa diária de R$ 500 mil aos movimentos sociais, o acordo mediado com a Secretaria de Estado de Segurança Pública para a transferência do local de concentração para um parque a 3 km da sede da Polícia Federal e, até, as mudanças climáticas em Curitiba, com frio e chuva, a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann leu, na noite desta segunda-feira, uma carta do ex-presidente aos militantes, com agradecimento e convocação à manutenção da mobilização.

No início da noite desta segunda-feira, Gleisi foi ao local onde os manifestantes se reúnem há 9 dias, desde a prisão de Lula no último sábado, para ler a carta que, segundo ela, foi ditada por Lula ao advogado Cristiano Zanin Martins, na visita desta segunda. Em cinco frases, Lula reafirma inocência, desafia a Lava Jato e agradece os militantes pela “resistência”, dizendo ouvir os gritos de dentro do quarto onde permanece detido na Superintendência da Polícia Federal.

Confira a íntegra da carta:

“Eu ouvi o que vocês cantaram. Estou muito agradecido pela resistência e presença de vocês neste ato de solidariedade. Tenho certeza que não está longe o dia em que a Justiça valerá a pena. Na hora em que ficar definido que quem cometeu crime seja punido. E que quem não cometeu seja absolvido. Continuo desafiando a Polícia Federal da Lava Jato, o Ministério Público da Lava Jato, o Moro e a segunda instância a provarem o crime que alegam que eu cometi. Continuo acreditando na Justiça e por isso estou tranquilo, mas indignado como todo inocente fica indignado quando é injustiçado”.


Post anteriorPróximo post
Roger Pereira
Repórter do Paraná Portal