Ex-prefeito de Piên vira réu por morte de prefeito eleito

Narley Resende


A Justiça do Paraná aceitou nesta semana a denúncia do Ministério Público do Estado contra o ex-prefeito de Piên Gilberto Dranka e outras três pessoas. Os réus são acusados de encomendar a morte do prefeito eleito da cidade, Loir Dreveck, de 52 anos, assassinado em dezembro do ano passado, antes de tomar posse no cargo. O presidente da Câmara de Piên, Leonides Maahs (PR), também é acusado de ter contratado um matador de aluguel para executar o prefeito eleito.

Junto com a família, Dreveck estava em um carro da prefeitura quando foi surpreendido por um motociclista que efetuou os disparos. O prefeito eleito foi encaminhado em estado grave a um hospital em São Bento do Sul, Santa Catarina, mas não resistiu aos ferimentos e morreu três dias depois.

Gilberto Dranka foi preso por policiais do Cope (Centro de Operações Policiais Especiais), no dia 31 de janeiro. Elke estava escondido no forro da sua casa, que fica no município de Pien, na região metropolitana de Curitiba.

Dranka foi prefeito de Piên por dois mandatos, eleito em 2008 e 2012. Logo após a prisão, a defesa do ex-prefeito divulgou um vídeo em que ele nega as acusações.

Previous ArticleNext Article