Polícia cumpre mandados em operação contra exploração sexual infantil no PR

Andreza Rossini


A Polícia Civil cumpre nove mandados de busca e apreensão em Curitiba, Maringá, no noroeste do estado e em Londrina, no norte, no âmbito da Operação Luz da Infância, que investiga crimes de exploração sexual contra crianças.

A força-tarefa foi deflagrada na manhã desta sexta-feira (20) e acontece simultaneamente em 24 estados brasileiros, para cumprir 172 mandados de busca e apreensão em 184 alvos.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (Sesp), os alvos foram identificados através de um levantamento de informações feito pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) e a Embaixada dos Estados Unidos da América no Brasil. Com base nas evidências coletadas, a Polícia Civil instaurou inquéritos e representou pedidos de buscas e apreensões ao judiciário, com o objetivo de apreender computadores e dispositivos onde estão armazenados conteúdos de pedofilia, indiciar e prender os criminosos.

A Operação é realizada em parceria com a  Senasp e o Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP).  Estão envolvidos na operação 120 delegados, 609 policiais, 110 escrivães e 53 peritos.  As investigações começaram há seis meses.

“A pedofilia é classificada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma doença de transtorno da preferência sexual. Pedófilos normalmente são pessoas adultas que tem preferência sexual por crianças pré-púberes ou no início da puberdade. O complexo ambiente da internet e a ausência de fronteiras no mundo virtual são elementos que propiciam terreno fértil à atuação desses criminosos”, diz a nota divulgada pela Sesp.

A operação conta com apoio de mais de 40 policiais das unidades do Núcleo de Combate ao Cibercrimes (Nuciber), do Núcleo de Proteção a Criança e Adolescente vítimas de Crime (Nucria), além dos Nucrias de Londrina e Maringá, do Grupo Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial (Tigre), do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), e da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc).

Luz na Infância

A operação foi intitulada Luz na Infância por serem “bárbaros e nefastos os crimes contra a dignidade sexual de crianças e adolescentes. A internet facilita esse tipo de conduta criminosa e, via de regra, os criminosos agem nas sombras e guetos da rede mundial de computadores”, afirma a Sesp.

Luz na Infância significa propiciar as crianças e adolescentes vítimas de abuso e violência sexual, o resgate da dignidade, bem como, tirar esses criminosos da escuridão, para que sejam julgados à luz da Justiça.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="461507" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]