Foragido da Justiça, Luccas Abagge é preso após fazer duas mulheres reféns

Jordana Martinez


Duas mulheres foram feitas reféns na tarde desta sexta-feira (30) em um assalto a uma loja de armarinhos no município de Contenda, na Região Metropolitana de Curitiba. As reféns foram liberadas depois de duas horas de negociações. Os bandidos se entregaram à polícia, que cercou o local.

De acordo com o Comandante da 1ª CIPM, major Helio Jose Hornung, uma equipe foi até o local e iniciou as negociações: “Vizinhos relataram que dois homens entraram e logo depois fecharam as portas. Com a técnica necessária, os policiais adentraram na propriedade, que também é a residência das vítimas, e percebeu que o roubo estava em andamento”, disse.

Quando a dupla tentou sair do local, avistou os militares estaduais e retornou à casa, fazendo as duas mulheres como refém. A equipe fez a primeira intervenção e, após isolar a área, acionou o BOPE para dar prosseguimento na ocorrência. Atenderam a ocorrência a Equipe de Negociação, a Rondas Ostensivas de Natureza Especial (RONE) e uma equipe de Comandos e Operações Especiais (COE), subunidades do BOPE, além do apoio de integrantes do 17º Batalhão e da Lapa.

“Aplicamos as alternativas táticas e negociamos com os causadores do evento crítico a rendição. O pedido deles era ter a garantia da integridade física ao se entregarem, o que foi atendido e feito com a segurança necessária após a negociação. Com eles foram apreendidas duas armas de fogo, as quais foram levadas à delegacia. As vítimas foram libertadas sem ferimentos”, disse o Comandante da Equipe de Negociação do BOPE, capitão Cleverson Rodrigues Machado.

Um dos criminosos é Luccas Abbage, 25 anos, que possui um extenso histórico criminal.  Abagge estava foragido há três meses, quando conseguiu fugir da Penitenciária Central do Estado (PCE) em Piraquara, na RMC, onde cumpria pena por outro crime de homicídio, cometido em 2015 no bairro Batel, na praça da Espanha, em Curitiba. O adolescente Matheus de Godoy Bueno, de 16 anos, foi morto na Praça da Espanha por Abagge.

Luccas Abagge é acusado de dois homicídios, além de assaltos, sequestros e outros crimes, e vinha sendo procurado pela polícia. A Polícia Civil pediu a prisão preventiva de Abagge pela morte de Erivelton Júlio de Carvalho, de 34 anos. O crime aconteceu no dia 24 de julho deste ano na Rua Cruz Machado, no Centro de Curitiba. A investigação revela que Abagge foi quem disparou os tiros que levaram a morte de Carvalho.

Ainda no dia 24, Luccas Abbage teria roubado um táxi na fuga e outros três veículos. Imagens de câmeras de segurança mostram os assaltos.

Ele tem passagem pela polícia por vários crimes: porte ilegal de arma de fogo, receptação, sequestro relâmpago, roubo, ameaça, homicídio e adquirir, fornecer e vender droga. Em 2013, ele chegou a ser preso por sequestro relâmpago. Luccas é filho de Beatriz Abagge, condenada a 21 anos de prisão pela morte do menino Evandro Ramos Caetano, ocorrida em 1992.
Capturar

Bruxas de Guaratuba
Luccas é filho de Beatriz Abagge, condenada a 21 anos de prisão pela morte do menino Evandro Ramos Caetano, em Guaratuba, no Litoral do Paraná. Caso ocorrido em 1992 em um suposto ritual de magia negra, que ficou conhecido em todo o Brasil como “o crime das bruxas de Guaratuba”.

 

Previous ArticleNext Article
Jordana Martinez
Profissional multimídia com passagens pela Tv Band Curitiba, RPC, Rede Massa, RicTv, rádio CBNCuritiba e BandNewsCuritiba. Hoje é editora-chefe do Paraná Portal.