Fotógrafo e modelos paranaenses participam do filme de Gentili

Caderno Gente


O fotógrafo paranaense, André Sanseverino e mais cinco modelos fotográficos de Maringá, são personagens do filme “Como se Tornar o Pior Aluno da Escola”, uma comédia brasileira baseada em livro escrito por Danilo Gentili. O longa traz os jovens estudantes Bernardo (Bruno Munhoz) e Pedro (Daniel Pimentel), que se veem divididos entre as obrigações escolares, a necessidade de tirar boas notas e ter bom comportamento, e a falta de propósito em cumprir todas as normas de uma escola que adota medidas cada vez mais politicamente corretas graças ao diretor Ademar (Carlos Villagrán). Após momentos de frustração, Pedro encontra no banheiro do colégio um diário contaminado com dicas para instaurar o caos na escola sem ser notado.

Em entrevista ao repórter Victor Duarte, do jornal Metro, de Maringá, Sanseverino contou que participar do filme foi uma experiência única. “Eu já conhecia o Danilo há algum tempo. Mais ou menos há um ano e meio atrás, encontrei o Danilo e o Fabrício Bittar e aí eles contaram do projeto e já com a ideia de ter a festa da Playboy. Foi uma iniciativa deles e eu, é claro, amei”, destacou. o empresário explicou ainda que ajudou na captação de recursos para o filme. “Sou fotógrafo, sempre fui ligado à fotografia e cinema era algo que faltava na minha vida. Eu fiquei muito feliz em participar”, ponderou.

Além de Sanseverino, três garotas que participam da produção, são da região de Maringá. “A primeira é a Lisiane Fernandes, farmacêutica, formada pela UEM [Universidade Estadual de Maringá] e trabalha como modelo. A segunda é a Aniennes Gaspartto – que começou comigo como modelo e hoje é ‘coelhinha’ oficial da Playboy – e também estudou quí- mica na UEM. A terceira é a Danúbia Girotto, que é estilista de Cianorte. Então assim, fico feliz em poder ajudar as pessoas da região. É uma honra enorme. Ainda temos mais dois projetos de filmes”, adiantou Sansverino.

André Sanseverino contou que o projeto levou aproximadamente um ano para ser produzido – entre as conversas de viabilização e a estreia no cinema. “Primeira coisa que eu tenho que ressaltar é a direção do Fabrício Bittar. Foi a melhor equipe que eu já trabalhei na vida. É incrível como o Danilo é um cara simples. Primeiro: O Danilo, sendo a estrela do filme, você imagina que ele vai ter algum tipo de privilégio. E não. Minha parte foram dois dias de gravação. Foi um ambiente extremamente familiar. Foi marcante”, relatou.

O empresário destacou ainda que as piadas no set eram recorrentes e contí- nuas, e classificou o longa como um “besteirol americano, brasileiro”, por não se tratar de uma comédia diferente do que o cinema nacional está habituado a ofertar para o público. “Eu sou uma pessoa extremamente suspeita para falar do filme. Quando eu assisti o filme eu tive uma surpresa muito boa. Porque o filme é muito bom. O filme é legal. Eu participei especificamente nas duas festas da Playboy que acontecem no filme. Eu não tinha uma visão geral do filme. No fim, gostei de tudo”, explicou.

Sanseverino adianta que o segundo filme de “Como se tornar o pior aluno da escola” já está sendo negociado e que espera poder participar novamente do filme. “O bichinho do cinema me mordeu. Agora pretendo participar sempre que possível”, pontuou.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="8904" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]