“Golpe do exame” faz mais uma vítima no Paraná

Fernando Garcel


Os país de um rapaz que está internado desde quarta-feira (4) no hospital Vita Batel perderam mais de R$ 3 mil após receber a ligação de um suposto funcionário da instituição. Por telefone, o criminoso dizia que o paciente ia precisar passar por exames urgentes e que, como o plano de saúde levaria alguns dias para liberar o procedimento, era necessário realizar um depósito bancário.

O consultor gráfico Robson André Esperança, sobrinho do casal, explicou que a pessoa do outro lado da linha descreveu todo o quadro clínico do paciente e afirmou que os procedimentos necessários seriam liberados pelo plano de saúde somente na próxima semana. Além do dinheiro, a pessoa que ligou pediu que o comprovante de depósito fosse autenticado em cartório e fosse levado ao hospital.

Chegando ao hospital com a documentação, no entanto, veio o casal recebeu a notícia de que teria caído em um golpe.

Os primeiros casos desse tipo de golpe foram registrados há cerca de seis meses no Paraná. As investigações são conduzidas pela Delegacia de Estelionato. O delegado Walace de Oliveira Brito explica que, na maioria das vezes, as ligações são feitas de outras regiões do país.

“O golpe é feito à distância, aos modos dos outros golpes. De alguma forma os estelionatários conseguem informações, até mesmo se passando por colaboradores de hospitais, e as vezes acabam induzindo que funcionários informem dados de pessoas que estão, infelizmente, na UTI ou estado parecido”, disse o delegado. Brito afirma também que a participação de funcionários não está descartada e orienta o que as famílias devem fazer para não se tornarem vítimas.

Com informações da BandNews FM Curitiba

Previous ArticleNext Article