Governo nega exoneração de policiais “desobedientes”

Redação


A Secretaria de Segurança Pública nega que policiais militares tenham se recusado a jogar bombas de gás e pimenta nos manifestantes no Centro Cívico, durante a batalha campal que se instalou nesta quarta-feira (30).

Um policial, que pediu para não ter o nome divulgado, informou ao Paraná Portal que cerca de 50 PMs seriam exonerados por “insubordinação”. Esclareceu ainda que as bombas brancas eram apenas compostas por talco, que seriam usadas durante a Copa do Mundo e que não oferecem qualquer risco às pessoas. As bombas azuis continham gás lacrimogêneo e as vermelhas pimenta. As balas de borracha foram usadas para intimidar, já que eram centenas de pessoas para um pequeno contingente de policiais, segundo o militar.

O Palácio Iguaçu justificou a operação, alegando a presença de black blocks infiltrados que teriam sido os responsáveis pelo início do tumulto que resultou em mais de 200 pessoas feridas.

Segundo a Comunicação da PM, os 21 policiais que ficaram feridos recusaram se retirar após permissão do comando. A assessoria ressalta que o cerco foi montado para cumprir uma ordem judicial expedida pela Justiça a pedido da Assembleia Legislativa.

 

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="354504" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]