João Noma, dono do boi japonês wagyu, espera viver 120 anos

Redação


Cropped image (36)

Em Maringá, onde reina, devido à sua simpatia, o dono da maior fábrica de carrocerias da região, João Noma, disse à coluna que vai viver 120 anos. Hoje, com 69 anos, revela que o único problema que tem, em relação à doenças, é herpes, quando fica nervoso e diabetes. Colesterol, triglicerídios, figado, tudo em ordem. Noma esbanja saúde e fala, com orgulho, sobre sua criação de  bois da raça japonesa wagyu, onde mantém um plantel em sua fazenda, em Rondônia. Este boi, segundo ele, recebe massagem e ouve música clássica, no Japão. No Brasil não precisa, mas tem, também, um tratamento diferenciado e sua carne é a melhor do mundo. “Estou cada vez mais aprimorando o produto, como embalagem, congelamento e distribuição para garantir uma carne de primeiríssima qualidade, a exemplo do Japão”, disse.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="487075" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]