Justiça proíbe policial que invadiu condomínio de frequentar o local

Mariana Ohde


O juiz Marcos Antônio da Cunha Araújo, de Campo Largo, acatou os pedidos da defesa do empresário Luis Guilherme Gomes Mussi, representado pelo advogado Rodrigo Muniz. Na última quarta-feira (18), um policial civil, identificado como Antônio Gabriel Castanheira, armado com um fuzil e granadas, invadiu o condomínio onde o empresário mora, em Campo Largo, Região Metropolitana de Curitiba.

Ao proferir a medida liminar, o juiz levou em conta a violenta ação do policial civil. “É certo que a prova documental bem indica a urgência do pedido, pois que as cenas indicam total desequilíbrio do noticiado que atua como policial civil da ativa e, utilizando-se de um fuzil e uma granada de mão aterrizou a portaria do referido condomínio”, informa a decisão.

Com isso, foi determinado que o policial está proibido de acessar o frequentar o condomínio durante o curso do inquérito policial e eventual ação penal, e deve manter distância mínima de 300 metros do local. Ele também foi proibido de manter contato, por qualquer meio de comunicação, com o empresário, seus familiares ou com os funcionários do condomínio. O juiz ainda determinou que, se precisar retirar objetos do local, o policial o faça com acompanhamento de um oficial de justiça e com prévia ciência e permissão do administrador do empresário.

Caso não cumpra a determinação, o policial civil pode ter a prisão preventiva decretada, por tentativa de obstrução no cumprimento da decisão judicial.

Confira o vídeo da invasão do policial:

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal