Sem categoria
Compartilhar

Mais de 50 mil paranaenses vivem em área de risco

Quase 53 mil pessoas vivem em áreas de risco no Paraná. No Brasil, este número chega a oito milhões. As informações são ..

Francielly Azevedo - CBN Curitiba - 04 de julho de 2018, 15:34

Foto: Divulgação Defesa Civil do Estado do Paraná
Foto: Divulgação Defesa Civil do Estado do Paraná

Quase 53 mil pessoas vivem em áreas de risco no Paraná. No Brasil, este número chega a oito milhões. As informações são do  estudo inédito População em Área de Risco no Brasil, divulgado na última semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo o diretor do Centro de Apoio Científico em Desastres (Cenacid) da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Renato Lima, as áreas de risco são caracterizadas por locais mais propensos aos desastres naturais.

"Área de risco é um local onde existe a possibilidade de ocorrência de um processo perigoso natural. São riscos relacionados a desastres naturais: inundação, deslizamento, corridas de lama, colapso do solo, entre outros processos".

No Paraná, 27 municípios são monitorados pela pesquisa do IBGE, sendo um total de 137 áreas de risco. Mas Lima, afirma que esse número é muito maior na realidade. "Eu penso que é maior porque, primeiro, é um arranjo de uma parcela de municípios do estado. E nós atendemos desastres em municípios que não estão nesta listagem. E mesmo nos municípios listados, conhecemos áreas de risco que não foram mapeadas pelo estudo. Então, é um conjunto de dados muito interessante, mas parcial, porque não apresenta toda a situação de riscos que ocorrem em nosso estado e nosso país".

Renato Lima explica quais são as regiões do Paraná com o maior número de áreas de risco e como são caracterizadas. "Ele sofre bastante com inundações tanto no litoral quanto no primeiro e terceiro planalto. E sofre, também, com deslizamentos, na faixa da Serra do Mar e no Vale do Ribeiro. No norte de Curitiba, ocorrem, ainda, situações de colapso do solo. São regiões com rochas calcárias, onde ocorre afundamento do solo".

O professor ressalta que o levantamento da população vulnerável a desastres naturais tem como objetivo possibilitar ações de monitoramento, elaboração de alertas e planejamento dos municípios. "acho importante destacar que a avaliação de risco e a preparação para desastre são temas prioritários das Nações Unidas. Então, cada município tem que fazer sua avaliação de risco, seu mapeamento e estar preparado para as situações que podem ocorrer naquele ambiente em que está localizado, considerando a geologia de sua região".

Conforme as informações do IBGE, aqui no Paraná, Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, é o município com mais pessoas vivendo em áreas de risco, são quase 19 mil moradores, o que representa 20,3% dos habitantes da cidade.