Ministério Público investiga presença de cobra e tigre dentro de balada, em Curitiba

Redação


O Ministério Público do Paraná vai investigar uma casa noturna no Centro de Curitiba que teria exibido um tigre e uma jiboia durante uma festa no último fim de semana. Fotos postadas na página da empresa na internet mostram pessoas interagindo com um dos animais.

A denúncia foi feita pelo ativista da proteção animal, Paulo Colnaghi, a partir de postagens de pessoas que estiveram no local na madrugada de sábado (10) para domingo (11).

“A casa noturna realizou uma festa no sábado, uma ‘festa na selva’. Entre as atrações tinham alguns animais que estavam lá, para as pessoas tirarem fotos. Uma jiboia e um tigre. Nós estamos buscando informações das pessoas que estavam lá, nós já temos várias testemunhas. Até agora tem várias fotos com as jiboias, o que seria um problema em si. É proibido o uso de animais para obtenção de lucros”, explicou.

A situação pode se enquadrar em um caso de maus–tratos, considerando o ambiente inadequado a que os animais foram submetidos, com pena prevista em uma lei federal, que vai de três meses a um ano de detenção.

Uma lei municipal também proíbe a utilização e apresentação de animais em “circos, espetáculos e assemelhados” no território de Curitiba. O ativista está reunindo informações e depoimentos que possam ajudar nas investigações.

“A casa noturna não permite que se use celular e tire fotos no local. Temos recebido bastante fotos e vídeos da cobra e tem vídeos da própria casa noturna falando que existe um mistério para o público descobrir na festa. O foco desse vídeo promocional é um tigre. Estamos aguardando algumas pessoas que nos disseram ter mais informações e tudo está sendo encaminhado ao Ministério Público”, afirmou.

O uso de câmeras dentro dessa casa noturna é restrito e, por isso, até o momento, só há registros de pessoas da equipe da casa interagindo com a jiboia.

Mas uma mulher que esteve no local na noite da festa e que prefere não se identificar, contou para reportagem da Band News FM que viu o tigre dentro da jaula e que chegou a reclamar com a equipe sobre a situação. Ela afirma que algumas pessoas conseguiram registrar fotos com o animal.

“Tenho certeza que o tigre é de verdade. Algumas pessoas chegaram perto da jaula para tirar fotos. Eu e meu esposo não estávamos com celular. Eu fiz a reclamação a um funcionário, afirmando que era um absurdo o animal estar ali dentro, preso. Ele aparentemente estava sedado, já que por mais que mexia a cabeça, não se movimentava dentro da jaula. A funcionária simplesmente saiu de perto de mim”, contou.

A situação deve ser encaminhada ainda para a Delegacia do Meio Ambiente que vai ajudar nas investigações. A reportagem não conseguiu contato com algum representante da casa noturna.

Previous ArticleNext Article