Ministro da Justiça tranquiliza Moro e afirma que Lava Jato é símbolo de combate à corrupção

Redação


SergioMoroGilFerreiraAgCNJ1

Enquanto o juiz Sérgio Moro, comandante da Operação Lava Jato, manifestava preocupação com os trabalhos que pretende desmantelar as quadrilhas que saquearam os cofres públicos da Nação, em Brasília, o novo ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, considerado linha dura, defendeu a continuidade da Lava Jato e classificou as investigações sobre o esquema de propina na Petrobras como um símbolo do combate à corrupção no País.

Atitudes criminosas serão combatidas

“A Operação Lava Jato é hoje o símbolo do combate a corrupção. Temos não só que mantê-la, porque é uma belíssima operação, mas também melhorar a operação com mais celeridade e mais efetividade”, afirmou. Em relação aos movimentos sociais como o MST, o ministro foi direto: “O MTST tem todo o direito de se manifestar, mas, a partir do momento, seja MTST, ABS, ZYH, que esses movimentos deixam o livre direito de se manifestar para queimar pneu, colocar em risco as pessoas, aí são atitudes criminosas que vão ser combatidas”.

Corte de 4 mil postos federais

O presidente em exercício, Michel Temer, afirmou, categoricamente, em seu discurso de posse, que vai reduzir os cargos comissionados e o ministro do Planejamento, Romero Jucá, disse que planeja fazer um corte de 4 mil postos federais, entre funções de confiança e cargos comissionados. Vai ser uma devassa, já que o governo petista inchou o país com benesses a militantes do PT. Vai ser, também, uma choradeira. Só no Incra existem centenas de fantasmas. Todos os demitidos da república petista devolveram os cartões de crédito corporativos?

Dilma queimou o cartão de crédito do Brasil

Não sei por qual treinamento passam algumas pessoas do PT, em especial a presidente Dilma Rousseff, que insiste na mentira, de que não cometeu crime e que é in justiçada. Um leitor do Estadão traduz isso em poucas palavras que servem para a própria presidente. “Alguém precisa dizer-lhe que foi porque ela, sem autorização, usou demais o cartão de crédito que o Brasil lhe confiou e o País praticamente faliu por causa disso. Será que ela entende assim?”.

Pacto federativo

 

Cida Borghetti esteve com o presidente Michel Temer na posse do novo presidente do TSE, Gilmar Mendes, no início da noite de quinta-feira, em Brasília. Como responsável pelas relações do Paraná na capital federal, Cida pediu ao novo presidente para que ele reveja o pacto federativo dando mais autonomia aos Estados e Municípios. O marido de Cida, deputado Ricardo Barros é ministro da Saúde no governo Temer

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="487078" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]