MP quer que Raphael Suss Marques use tornozeleira eletrônica

Narley Resende


Com BandNews FM Curitiba

O Ministério Público do Paraná quer que o médico Raphael Suss Marques, acusado de matar a fisiculturista Renata Muggiati, seja monitorado por tornozeleira eletrônica. O MP defende que ele descumpriu medidas cautelares judiciais.

Entre as determinações da Justiça, está a de que Suss Marques esteja em casa até as 21 horas, enquanto aguarda o julgamento em liberdade. No entanto, imagens do circuito interno de uma churrascaria mostram que ele chegou ao estabelecimento por volta das 22h30 e só saiu às 23h43.

Na ação o MP, além de pedir a tornozeleira, solicita que seja decretada a prisão preventiva do médico em caso de novo descumprimento. O pedido ainda não foi analisado pela Justiça. As informações são da RPC TV.

Renata morreu na noite de 12 de setembro de 2015. A suspeita é de que ela tenha sido asfixiada e atirada da janela do 31º andar pelo namorado. Fotos e mensagens enviadas por celular, que constam no processo, reforçam a tese de que ela era vítima constante de agressões.

Raphael Suss Marques foi preso em setembro e, depois, novamente em janeiro. Acabou solto após seis dias, por meio de um habeas corpus. Ele nega o crime e insiste em dizer que Renata se suicidou. O processo corre em segredo de Justiça.

Na semana que vem terão início as audiências do caso. Testemunhas de defesa e de acusação devem ser ouvidas. Depois, a Justiça decide se o médico vai ou não a júri popular. A reportagem da BandNews FM tentou contato com o advogado de Raphael, mas as ligações não foram atendidas.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="378021" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]