Sem categoria
Compartilhar

Nova ferramenta ajuda a encontrar pessoas desaparecidas

O Instituto de Identificação do Paraná (IIPR) utiliza uma nova ferramenta na investigação e busca de pessoas desaparecid..

Andreza Rossini - 02 de março de 2017, 18:11

O Instituto de Identificação do Paraná (IIPR) utiliza uma nova ferramenta na investigação e busca de pessoas desaparecidas no estado. Um banco de dados chamado Cadastro Biométrico de Desaparecidos (Cadê), desenvolvido pela Polícia Federal, armazena mais de 17 milhões de impressões digitais. Efetivado em janeiro deste ano, já localizou três pessoas no Paraná.

“O sistema que antes ajudava a solucionar crimes, agora, com essa parceria, vai auxiliar a encontrar pessoas desaparecidas. O Paraná é um dos primeiros estados brasileiros a contribuir com este banco de dados, além de Sergipe, Goiás e Minas Gerais”, explicou a papiloscopista chefe da Subdivisão de Operações de Perícias do Instituto de Identificação do Paraná, Milene Graciotto.

Neste banco, também podem ser incluídas as impressões digitais de pessoas que constam na difusão amarela (desaparecidos) e negra (cadáveres) da Interpol, auxiliando investigações internacionais. O sistema procura detalhadamente a biometria da pessoa desparecida e, para isso, basta que a o cidadão possua cadastro biométrico, feito pela Polícia Civil para a confecção do documento de identidade e na Polícia Federal para a emissão do passaporte.

“O sistema leva em torno de 20 minutos para fazer uma busca completa e encontrar uma impressão semelhante à procurada. Após essa etapa, o trabalho é feito manualmente até que a suspeita seja confirmada”, explica a papiloscopista.