Ogier Buchi aceita dar palanque a Bolsonaro no Paraná

Roger Pereira


Ao final do prazo para a homologação das candidaturas nas eleições de outubro, o PSL, do candidato a presidente Jair Bolsonaro, anunciou o advogado e apresentador de TV Ogier Buchi como candidato ao governo do Paraná. Buchi aceitou o convite com a missão de dar palanque ao deputado federal no estado e é o nono candidato confirmado ao pleito local. Ogier terá como vice Doutor Caxias Ribas, do Patriota, único partido com quem formou aliança.

Candidato em 2014 pelo PRP Ogier diz que, agora, sua candidatura é viável, por conta do palanque construído. “Muda tudo em relação a 2014. Na campanha anterior, eu tinha uma estrutura muito pequena e não tinha candidatura nacional. Agora, temos o líder nas pesquisas para a Presidência da República (em cenário sem a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva – PT). Temos uma estrutura bem maior e um candidato viável, também, ao senado (deputado federal Delegado Francischini)”, disse. “Temos o desafio de, novamente, não termos quase nada de tempo de televisão, mas acredito que essa campanha será diferente e as redes sociais podem suprir esse problema”, acrescentou.

Ogier disse compartilhar de grande parte dos pensamentos do candidato de seu partido ao Palácio do Planalto, “principalmente no que diz respeito ao combate à corrupção e à defesa da propriedade”, disse defender o “porte de arma legal da população” e ser contrário à política de cotas.

O candidato ao governo do Paraná, no entanto, afirmou ter algumas posições pessoais divergentes de Bolsonaro, como na manutenção dos direitos adquiridos pelas minorias, “mas sou contrário à concessão de novos privilégios que prejudique a população em geral, Não gosto de políticas que segreguem a população”. Ele também aponta pontos divergentes da política econômica do partido. “Todo respeito ao economista Paulo Guedes, mas vou buscar uma pauta econômica condizente com a realidade do Paraná. Precisamos diminuir a carga tributária. Não acredito no Estado empregador, sou um liberal por excelência”.

Além da pauta econômica e de combate à corrupção, Ogier disse que pautará, na campanha, a redução do número de secretárias e da estrutura do estado e a rediscussão dos contratos de pedágio, cuja concessão vence em 2021, no mandato do novo governador.

O candidato disse ainda não ter definida uma agenda de campanha com Bolsonaro e nem sabe se o deputado virá ao Paraná no período eleitoral. “Aceitei o convite ontem, não discutimos isso ainda. Vou encontrá-lo na quinta-feira para traçarmos essa estratégia”, disse.

Previous ArticleNext Article
Repórter do Paraná Portal
[post_explorer post_id="542656" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]