Sem categoria
Compartilhar

Para Gilda com Ardor conta a história da mais famosa travesti de Curitiba

Quem viveu na Curitiba dos anos 70 conheceu um personagem caricato que foi praticamente uma lenda folclórica real: Gilda..

Guilherme Grandi - 02 de agosto de 2017, 00:01

Da lenda das &quotmulheres barbadas&quot dos circos de antigamente, Gilda era a realização do folclore circense. [foto: Curitiba de Antigamente]
Da lenda das &quotmulheres barbadas&quot dos circos de antigamente, Gilda era a realização do folclore circense. [foto: Curitiba de Antigamente]

Quem viveu na Curitiba dos anos 70 conheceu um personagem caricato que foi praticamente uma lenda folclórica real: Gilda! A travesti mendiga mais famosa das ruas do Centro renasce após 34 anos de sua morte no espetáculo "Para Gilda com Ardor", desenvolvido do ator Ricardo Nolasco que se apresenta nesta quarta (2), no Teatro Guairinha.

Em seu primeiro trabalho solo, Ricardo se apresenta como um "artista híbrido, da performance, situacionista, poeta, artista de cabaré e do teatro experimental", conta. Através do estudo da obra de Alejandro Jodorowsky, "Para Gilda com Ardor" mapeia a cidade de Curitiba em uma busca pelo que a travesti representou para a capital.

Gilda foi um dos personagens mais marcantes que ganhou destaque nos anos 70, na Boca Maldita e ficou famosa por beijar as pessoas no centro da cidade. Gilda era na verdade Rubens Aparecido Rinke, um travesti, que sempre andava com barba por fazer e ao mesmo tempo usava saia.

Não se sabe ao certo como Gilda chegou a Curitiba. Uma das principais versões é a de que abandonou um circo e decidiu ficar na cidade. Todo ano, no carnaval de rua de Curitiba, Gilda também desfilava e fazia brincadeiras com quem passasse por perto.

Por isso, uma das principais marcas é a irreverência.

Serviço:

"Para Gilda, com Ardor"

Quarta (2), às 19h, no Teatro Guairinha

Rua XV de Novembro, 971, Centro

Entrada gratuita.