Passagens subterrâneas de terminais de ônibus recebem intervenções artísticas em Curitiba

Redação


A partir desta sexta-feira (26), quem circular pelas passagens subterrâneas dos terminais de transporte coletivo Campina do Siqueira, Campo Comprido e Cabral, em Curitiba, em Curitiba, deve olhar para cima. Nomeada de “Ínterim”, a intervenção urbana produzida pelas artistas Eliane Prolik e Larissa Schip traz instalações fotográficas de 30 metros de comprimento no teto, com fotografias feitas nos próprios locais.

A ideia de mostrar o cotidiano das pessoas na cidade, destacando o movimento de vultos e sobreposições de imagens, deve fazer com que os usuários dos ônibus que passam por estes espaços, tenham uma nova visão de si mesmos. As fotografias criam uma linha central no teto.   “A situação de inversão, acima da cabeça do observador, propicia uma nova leitura relacionada ao espaço e sua vivência corporal”, complementam as artistas.

O Projeto Ínterim foi selecionado em edital do Fundo Municipal da Cultura, sendo o projeto realizado com o Apoio do Programa de Apoio e Incentivo a Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba.E também contou com o apoio da URBS.   Além  da sequência de imagens fixadas no teto da galeria, a intervenção também traz um texto do curador e crítico de arte Adolfo Montejo Navas e um QR code que dá acesso ao perfil do projeto no Instagram. A intervenção fica disponível entre os dias 26 de abril e 26 de junho nos três terminais.

Sobre as artistas

Eliane Prolik trabalha com esculturas, objetos, instalações e vídeos. Graduada em pintura, com especialização em história da arte do século XX pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná (1981 e 2000). Estuda na Accademia di Belle Arti di Brera em Milão (1985-86) e na Universidade Federal do  Paraná cursa filosofia (1980-81) Individuais recentes: Seranum, Museu Oscar Niemeyer (2018); Aqui Semáforo no Projeto Infiltrações, Solar do Barão em Curitiba (2018); Pra Que, Pinacoteca de São Paulo (2017); Mudanças, Centro Cultural Sistema FIEP (2016); Matéria do Mundo, Museu Oscar Niemeyer (2014); Atravessamento, Museu Municipal de Arte de Curitiba (2012); Sim Galeria (2011); Tuiuiú no Projeto Octógono, Pinacoteca de São Paulo (2004) e Capulus, Centro Universitário Mariantonia – USP, São Paulo (2003). Principais exposições coletivas: Integra a Bienal de Curitiba (2015 e 2017); 19ª e 25ª Bienal Internacional de São Paulo (1987 e 2002); I Bienal do Mercosul, Porto Alegre (1997); Bienal Brasil Século XX, FBSP (1994); Panorama da Arte Brasileira, MAM-SP (1995 – Prêmio e 1991). Exibe nas mostras: Sinalítica, MusA – UFPR (2017); A Cor do Brasil, MAR-RJ (2016); Arr, Espaço Cultural BRDE Curitiba (2015); O Estado da Arte e PR/ BR, Museu Oscar Niemeyer, Curitiba (2010 e 2013) e O Espaço Aberto, Caixa Cultural Brasília (2011).

Larissa Schip é artista visual, pós-graduanda em Curadoria e História da Arte pela Universidade Católica (PUC-PR) e formada em Artes Visuais pela Faculdade de Artes do Paraná (2017). Principais exposições: mostra individual Bicho em trânsito na Galeria Airez (2018) e coletivas (à)Temporalidade no Museu Alfredo Andersen em conjunto ao artista Everton Leite (2017); Circuito de Arte Contemporânea de Curitiba no Museu Municipal de Arte (2019); Exposições do circuito de galerias da Bienal Internacional de Curitiba na Soma galeria, com mostra intervenção individual, e na Galeria Airez, na ocasião, artista ganhadora do Prêmio residência 2018. Em 2018 participou do Projeto Armazém em Florianópolis SC, tendo obra adquirida para a coleção do projeto e também para o acervo da Universidade Estadual de Santa Cataria. Outras exposições: Circuito Universitário da Bienal Internacional de Curitiba (2015); #Conexão 3 do Núcleo de Arte Digital da FAP (2016); II Exposição Internacional de Arte e Gênero na UFSC e mostra Subjetivações Compartilhadas na UFSM (2017).

Serviço:   

Exposição: Intervenção Urbana Ínterim

Local: Terminais do Cabral, Campina do  Siqueira e Campo Comprido – passagens subterrâneas

Data: 26 de abril a 26 de junho de 2019

Insta do projeto: @projetointerim

 

Previous ArticleNext Article