Sem categoria
Compartilhar

PMs suspeitos de dar cobertura a assaltos são presos pelo Gaeco

Oito policiais militares, suspeitos de dar cobertura aos assaltos a cofres e caixas eletrônicos, estão entre os 35 preso..

Narley Resende - 21 de dezembro de 2016, 12:03

Oito policiais militares, suspeitos de dar cobertura aos assaltos a cofres e caixas eletrônicos, estão entre os 35 presos nesta quarta-feira (21) em uma operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Outras três pessoas foram presas por porte de armas e drogas.

A organização criminosa tinha como principais núcleos de atuação os municípios de São José dos Pinhais (PR) e Joinville (SC), de acordo com o Ministério Público (MP).

O Gaeco e a Polícia Militar, com a Corregedoria e o Bope, cumprem 35 mandados de prisão temporária e 37 mandados de busca e apreensão na “Operação Vídea”, que investiga uma organização criminosa envolvida em assaltos a cofres de empresas e caixas eletrônicos e também em tráfico de drogas.

Policiais presos

Segundo o procurador Leonir Batisti, coordenador do Gaeco no Paraná, os policiais investigados impediam a ação da PM.

"Os policiais militares acobertavam a quadrilha pontualmente. Os policiais diversos, não eram os oito numa oportunidade. (Os PMs) eram avisados quando se estava sendo cometido um crime e não repassavam aos demais policiais quando deveriam. Ou eles até afastavam outras equipes, procuravam reduzir ou impedir até a polícia de agir", afirma.

Os policiais presos foram levados à Corregedoria. A PM informou que contribuiu com as investigações, repassando todas as informações necessárias à Operação Vídea. A PM afirma que não compactua com desvios de conduta de seus integrantes e apura todos os casos denunciados, bem como as responsorialidades, mas garante ao policial militar a ampla defesa e contraditório.

Assaltos e tráfico

A atuação da quadrilha era diversa, segundo Batisti. "Uma parte destes (presos) atuavam exclusivamente com os caixas eletrônicos e cofres. A outra parte também com tráfico e eventualmente nas duas pontas".

De acordo com o MP, entre as prisões temporárias decretadas, 21 são contra pessoas investigadas por participar de organização criminosa que praticava assaltos a cofres de empresas e caixas eletrônicos e 14 por ligação ao tráfico de drogas – sendo que algumas das 35 pessoas atuam nas duas atividades ilícitas.

As prisões e os mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em Curitiba, São José dos Pinhais, Fazenda Rio Grande, Colombo, Campo Magro, Campina Grande do Sul e Joinville.

Durante o cumprimento dos mandados, foram apreendidos equipamentos utilizados nos crimes, como furadeiras eletromagnéticas utilizadas para abrir os cofres, veículos, drogas e armas.

Mulheres

Duas mulheres estão entre os presos. Elas foram levadas ao Gaeco acompanhadas de duas crianças, filhas delas. "As crianças acabaram vindo junto com as mães. As mulheres, nós temos indicação de que tinham consciência e mais que isso: elas teriam feito os levantamentos dos lugares para os arrombamentos de cofres e caixas", afirma Leonir Batisti.

As crianças devem ser encaminhadas ao Conselho Tutelar que vai acionar a Justiça para definir se os menores ficarão sob a guarda de familiares ou abrigo público.