Policiais são presos acusados de extorsão e roubo a colombianos

Fernando Garcel


O Ministério Público do Paraná (MPPR), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), cumpriu mandados de prisão temporária e três mandados de busca e apreensão em Curitiba, na Operação Tayrona. Entre os alvos dos mandados estão um policial civil e um agente carcerário.

Até a manhã desta quarta-feira (5), um quarto mandado contra um investigador da Polícia Civil, lotado na delegacia de Rio Branco do Sul, não havia sido cumprido.

A investigação apura crimes de roubo e extorsão praticados contra dois colombianos que residem no Brasil. O grupo criminoso investigado seria constituído pelo investigador de polícia, um auxiliar de carceragem lotado em Campina Grande do Sul e dois amigos deles, sem vínculos diretos com o Estado.

De acordo com o que apurou o Gaeco, em junho do ano passado, os quatro integrantes do grupo abordaram, numa pizzaria em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, um colombiano que emprestava dinheiro a juros e roubaram dele R$ 2,5 mil, ameaçando-o com um revólver. Em outra oportunidade, em maio de 2016, três integrantes do grupo exigiram de um outro colombiano a entrega de R$ 5 mil, ameaçando-o de prisão porque ele estaria emprestando dinheiro a juros – diante da ameaça, o colombiano acabou entregando ao grupo R$ 2 mil em duas parcelas.

Previous ArticleNext Article