Presos do Paraná recebem tablet para uso educacional

Andreza Rossini


Presos que participam de atividades de ensino na Penitenciária Estadual de Cruzeiro do Oeste (Peco) receberam tablets para uso educacional. Além das aulas presenciais com os professores, eles terão o direito de acompanhar os conteúdos nas celas, por meio do aparelho eletrônico.  No Paraná, 44% dos presos estão matriculados em atividades de ensino, sendo ofertadas educação básica, ensino profissionalizante, ensino superior e o projeto de remição de pena pela leitura.

O projeto é inédito no Brasil, realizado em parceria entre o Departamento Penitenciário do Paraná (Depen) e a Secretaria Estadual de Educação. O objetivo é ampliar a oferta de educação nas unidades prisionais.

Segundo , esse é um trabalho que vem sendo estruturado e discutido desde 2012 e agora se concretiza com a iniciativa em Cruzeiro do Oeste. “Nós temos muitos obstáculos a serem superados, principalmente no quesito de segurança na movimentação dos presos da cela até os espaços escolares”, explica a coordenadora.

Na avaliação da coordenadora de educação do Depen, Glacélia Quadros , o Centro Estadual de Educação Básica para Jovens e Adultos (Ceebja) João da Luz apresenta uma proposta inovadora, ousada e exigente. “Ousada porque é a única iniciativa no Brasil em sistema prisional que utiliza o recurso do tablets para desenvolver os conteúdos pedagógicos. Exigente porque exige do profissional o desenvolvimento de novas capacidades e habilidades para preparar aulas e gravar, ao mesmo tempo em que desenvolve conteúdo presencialmente com os presos”, diz.

A secretária de Estado da Educação, professora Ana Seres, afirma que as novas tecnologias são uma realidade em sala de aula, em qualquer faixa etária, e podem contribuir para o aprendizado dos estudantes. “São ferramentas que complementam o conteúdo ministrado aos nossos alunos”, diz ela.

O projeto-piloto será iniciado, nesse primeiro momento, com as disciplinas de Língua Portuguesa e Inglês. As aulas serão ministradas na modalidade presencial (20%) e na modalidade a distância (80%). Todo o material utilizado em sala, vídeos e apostilas são desenvolvidos pelos professores do Ceebja Professor João da Luz da Silva Corrêa, que já atuam unidade.

De acordo com o diretor da Penitenciária, Arnobe Lemes dos Reis, todos os  tablets passaram por adaptações coerentes com padrão de segurança estabelecido pela unidade. “A ferramenta constitui-se de um livro virtual, porque todos os dispositivos de internet, telefonia, câmera filmadora, câmera fotográfica, gravadores de áudio e outros que poderiam comprometer a segurança foram retirados dos aparelhos”, explica.

Segundo ele, os presos terão acesso somente às aulas gravadas e textos disponibilizados na ferramenta pelos docentes. “Essas ações pedagógicas contribuirão muito para o sucesso dos detentos no estudo e para o processo de ressocialização dos mesmos”, opina o diretor, Arnobe Lemes dos Reis.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="389031" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]