Lava Jato de Curitiba convoca população para acompanhar julgamento de Deltan no CNMP

Redação

Os procuradores se posicionaram depois da decisão do ministro do STF (Supremo Tribunal de Justiça) Gilmar Mendes, na última  sexta-feira (4)
Lava Jato rebate Aras e pede "independência funcional" aos procuradores

Os procuradores que fazem parte da Força-Tarefa da Lava Jato em Curitiba, agora liderados pelo procurador Alessandro Oliveira, substituto de Deltan Dallagnol, lançaram um vídeo na tarde deste domingo (6),  convocando a população e colegas de profissão, para participarem do julgamento de Dallagnol no CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público), na próxima terça-feira (8).

Os procuradores se posicionaram depois da decisão do ministro do STF (Supremo Tribunal de Justiça) Gilmar Mendes, na última  sexta-feira (4), que revogou a decisão do colega ministro Celso de Mello que determina que o caso apresentado pelo Senador Renan Calheiros, contra o procurador Deltan Dallagnol, seja julgado no CNMP.

Para os colegas de Dallagnol, o caso não envolve a atuação do procurador em processos da Lava Jato e sim manifestações em redes socias, como a postagem em que Dallagnol  se posicionou a favor do voto aberto para a escolha do Presidente do Senado.

Para os procuradores da Lava Jato, tais manifestações do ex-coordenador da Força-Tarefa de Curitiba são em defesa da causa anticorrupção e em defesa da sociedade.

CONFIRA O VÍDEO EM QUE OS PROCURADORES DA LAVA JATO CHAMAM PARA JULGAMENTO DE DELTAN DALLAGNOL

Segundo o MPF (Ministério Público Federal), Deltan Dallagnol levou o caso à apreciação do Supremo, e sua análise coube, por sorteio, ao juiz mais antigo da Suprema Corte, o Ministro Celso de Mello. Em decisão histórica, o Ministro reconheceu que o caso contra Deltan não tinha condições de prosseguir no CNMP, como também disse que “a garantia à livre manifestação do pensamento – um dos dogmas estruturantes do Estado democrático de Direito – revela-se como elemento fundamental ao exercício independente das funções do Ministério Público, cuja voz não pode ser calada, sob pena de grave transgressão ao interesse público.”

O Ministro Gilmar Mendes, revogou a decisão de Celso de Mello sob a alegação de que a incerteza do prazo prescricional para a imposição de eventuais sanções à Deltan no caso justificaria a retomada do processo no CNMP.

DELTAN DALLAGNOL DEIXOU A COORDENAÇÃO DA LAVA JATO 

deltan saída lava jato
(Reprodução/Youtube)

Nesta semana o procurador Deltan Dallagnol, que chefiou a Força-Tarefa da Operação Lava Jato por seis anos, deixou o grupo.

Em nota, o MPF (Ministério Público Federal) confirmou a saída de Deltan Dallagnol do comando da força-tarefa na última terça-feira (1). Deltan deixou a operação para acompanhar um tratamento de saúde da filha.
Com isso, o procurador Alessandro José Fernandes de Oliveira assume a função como coordenador da força-tarefa. O período de transição será de 15 dias.

 

Previous ArticleNext Article