O nome da operação faz referência ao principal investigado, apontado como o “cabeça” da organização criminosa que responde pelo apelido de “bagre”. As investigações começaram há um ano e meio e apontam que a quadrilha era composta por pelo menos 20 pessoas.