Sem categoria
Compartilhar

Secretária de asilo é presa suspeita de desviar dinheiro de idosos

Uma secretária de um lar de idosos coordenado pela Associação Nossa Senhora das Graças foi presa na região de Londrina, ..

Fernando Garcel - 24 de junho de 2016, 16:58

Foto: ANPR
Foto: ANPR

Uma secretária de um lar de idosos coordenado pela Associação Nossa Senhora das Graças foi presa na região de Londrina, no norte do Paraná. Ela é acusada de desviar recursos financeiros de ao menos 20 idosos e o Ministério Público do Paraná (MP-PR) estima que o prejuízo das vítimas chegue a R$ 80 mil.

Segundo o órgão, várias denúncias foram protocoladas por uso indevido do dinheiro dos idosos. Durante as investigações, a presidência do asilo entregou vários documentos à promotoria. Entre as faturas estavam compras em um supermercado, exames feitos em uma clínica particular de Londrina, saques pelo cartão de crédito e compras pela internet, principalmente de roupas, pelo cartão dos idosos. Segundo a promotoria, uma das vítimas que teve o cartão usado em uma loja de roupas "sequer consegue andar".

Além de desviar o dinheiro da conta dos idosos e fazer compras com o cartão de crédito, o MP-PR alega que ela contratou um empréstimo consignado no nome de uma idosa e sacava dinheiro direto do cartão da mesma.

Segundo a promotoria de Centenário do Sul, a secretária ocupava um cargo de confiança na instituição há cerca de dois anos e passou a transferir o dinheiro dos idosos para sua conta pessoal. Ela usava o próprio cartão das vítimas para fazer os repasses e compras. O acesso fácil aos cartões facilitou o golpe. De acordo com o Estatuto do Idoso, 70% da renda de cada contemplado pode ficar sob a responsabilidade da entidade. Como regra, os 30% restantes devem ser depositados na poupança do beneficiário.

A mulher procurou abrigo na casa de familiares, mas foi presa por investigadores da 9ª Subdivisão Policial de Maringá, também no norte do Paraná, e foi transferida para a Delegacia de Porecatu. A suspeita foi denunciada por crime de furto qualificado, mas poderá responder por improbidade administrativa.