Secretario de Agricultura alerta para a necessidade de preservação do solo durante o Dia de Campo

Mariana Ohde


O secretário da Agricultura e do Abastecimento do Paraná, Norberto Ortigara, fez um alerta a produtores sobre a necessidade contínua de preservação do solo. As declarações foram feitas na abertura do Dia de Campo Verão 2017, na quarta-feira (15). O evento reuniu cerca de 1.100 produtores e foi realizado pela Cooperativa Agrária Agroindustrial e pela Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária (Fapa), em Guarapuava.

Segundo Ortigara, o alerta vale para todos os agricultores paranaenses. “Estou participando do nono evento técnico no estado e fevereiro ainda nem terminou. Isto demonstra a atenção que as entidades dão ao agronegócio, buscando mais sintonia entre ciência e agricultura, mas não podemos esquecer do maior patrimônio do agricultor, que é o solo”, destacou.

Para completar a mensagem que o secretario levou aos agricultores, a engenheira agrícola da Seab, Débora Grimm fez a palestra de apresentação do Prosolo- Programa Integrado de Conservação de Solo e Água do Paraná, que está em curso no estado. “Este programa surgiu a partir de uma demanda da iniciativa privada junto com o Governo do Paraná para alavancar ainda mais a agricultura paranaense”, destacou Débora.

O diretor financeiro da Cooperativa Agrária, Arnaldo Stock, concorda que o aprendizado, seja em cursos ou dias de campo deve ser constante porque a agricultura é uma atividade extremamente dinâmica. “Mesmo com excelentes resultados na região, ainda temos problemas e precisamos melhorar”, pontuou. Na área da cooperativa chegam a atingir uma produtividade de 12 mil kg/hectare nas lavouras de milho, enquanto a média paranaense em milho fica em torno de 8.800 kg/ha.

Rally da Sustentabilidade

Na terça-feira (14) aconteceu o encerramento do 2 Rally de Uso e Conservação do Solo e da Água, também chamado Rally da Sustentabilidade, e promovido pela Agrária. O evento é uma nova estratégia para mostrar tecnologias de uma forma lúdica e desafiadora. Segundo Leandro Bren, coordenador da Fapa e do Rally, 41 equipes participaram do rally que percorreu um trajeto de 195 km. “ O percurso foi dividido em 10 estações, cada uma com uma mensagem e um desafio sobre o tema conservação de solos. Foi um sumário do que foi visto depois no Dia de Campo”, explicou Bren.

No encerramento e premiação dos participantes do Rally ficou a mensagem de que cuidar do solo é tão importante ou mais do que falar em produtividade. “Temos que ter em mente que somos passageiros aqui e emprestamos a terra dos nossos filhos e temos que deixar um legado para eles no futuro”, afirmou Arnaldo Stock, integrante da equipe vencedora.

Prosolo

O Programa Integrado de Conservação de Solo e Água do Paraná- Prosolo, criado em agosto do ano passado, está aberto à adesão de agricultores que tenham problemas de compactação ou erosão de solo em sua propriedade para iniciarem o trabalho de recuperação.O produtor tem ate agosto deste ano para aderir. Segundo Débora Grimm, o produtor terá depois um ano para apresentar um projeto, e mais três para implantá-lo na sua propriedade. “ Por isso nós estamos aproveitando todas as oportunidades para divulgação deste programa para que ninguém fique de fora”, informa.

O Paraná tem uma legislação de conservação de solo moderna e que está sendo atualizada. O secretario Norberto Ortigara lembrou que o papel do estado é fiscalizar e fazer cumprir a lei, porém quer dar condições aos agricultores paranaenses para adequarem suas propriedades. “Antes de sairmos multando agricultor, queremos que o trabalho seja feito, por isso ouvimos as demandas e organizamos com vários parceiros formas de atender estas necessidades”, comentou.

Um dos gargalos trabalhado nos eixos do programa é a capacitação de técnicos e agentes municipais. “Os produtores sentiam dificuldade em encontrar pessoas capacitadas para elaboração de projetos, e também faltam nos municípios agentes para fazer as estradas dentro das práticas conservacionistas para conduzir a água corretamente”, explica Débora.

A pesquisa também foi uma outra demanda, especialmente a aproximação dela com a realidade e diferenças de cada região. Para isto foi criada a Rede Paranaense de Pesquisa que definiu a conservação de solos como prioridade e reúne fundações, universidade e entidades de pesquisa do Estado com o mesmo objetivo. “Esta sendo lançado agora, pela Fundação Araucária, um edital para financiar o mesmo tipo de pequisa em regiões diferentes, para ai final de dois anos, publicar um livro com as recomendações específicas”, conclui Débora.

O Prosolo trabalha com cinco eixos, em cooperação técnica entre os parceiros que incluem Faep,/Senar-Pr, Fetaep, AMP, Febrapdp, Apepa, Ocepar, Secretarias de Estado da Agricultura e Abastecimento e da Ciência e Tecnologia e Ensino Superior, Itaipu Binacional, Emater, Iapar, Adapar, Codapar, Copel e Sanepar.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal