Sem categoria
Compartilhar

Suspeitos de torturar e matar filho de PM morrem em confronto com a polícia

Dois homens suspeitos de participar da morte de Guilherme Sela, de 16 anos, filho de um policial militar de Umuarama, no..

Fernando Garcel - 05 de janeiro de 2017, 15:28

Dois homens suspeitos de participar da morte de Guilherme Sela, de 16 anos, filho de um policial militar de Umuarama, no Noroeste do Paraná, morreram após entrar em confronto com a Policia Militar na manhã desta quinta-feira (5).

> Filho de PM é torturado e morto no interior do Paraná

De acordo com o delegado Pedro Fontana e o comandante da PM, major Letrinta, em coletiva de imprensa, o caso começou após o roubo da residência dos pais de Guilherme. O assalto aconteceu pouco antes das 19h. O jovem estava em casa sozinho quando, pelo menos, três homens invadiram o local e subtraíram diversos objetos e fugiram com o veículo da família e levando junto o jovem. "Eles entraram na residencia, renderam a vítima que estava sozinho e amarraram ele. Na fuga, eles bateram o carro do pai da vítima e fugiram", diz Fontana.

Um suspeito identificado como Mateus Costa Gonçalves, de 19 anos, foi preso em flagrante tentando entrar no Parque de Exposições, após a batida do carro. Os outros dois homens fugiram e ficaram escondidos em um matagal.

A equipe da PM encontrou os dois homens em um matagal próximo ao parque. Segundo informações preliminares, eles não obedeceram a ordem de parada dos policiais. Houve troca de tiros e os dois, que pareciam ser adolescentes, morreram. Os nomes dos rapazes ainda não foram divulgados. Os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) de Umuarama.

O caso

Somente depois que a mãe de Guilherme, que se encontra com outro filho nas praias de Santa Catarina, postou nas redes sociais que o filho havia sumido, o Serviço de Inteligência verificou a casa e a encontrou aberta e toda revirada, após buscas na região do acidente o menor foi encontrado morto em uma propriedade rural às margens da PR-323, em um frigorífico desativado. De acordo com informações da polícia, o corpo de Guilherme tinha sinais de tortura, espancamento na região da cabeça, uma orelha cortada e várias facadas.

O Instituto Médico Legal (IML) fez a liberação do corpo do jovem e ele será velado na Igreja Batista Nova Canaã, em Umuarama.