Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

A língua afiada da inveja e a língua ácida do prefeito Greca

 Ao mesmo tempo em que, como momo, vai para a pista ensaiar passos de samba com passista de escola de samba ..

Pedro Ribeiro - 04 de fevereiro de 2020, 09:41

 

Ao mesmo tempo em que, como momo, vai para a pista ensaiar passos de samba com passista de escola de samba para divulgar o acanhado Carnaval de Curitiba, como mostra vídeo que viralizou nas redes sociais na semana passada, canta o Hino de Curitiba, na rua, nas escolas e em eventos sociais e empresariais, o prefeito de Curitiba, Rafael Greca, foi à Câmara Municipal para falar das línguas perversas que o atacam com a perfumaria que vem fazendo na capital com as proximidades das eleições.

Responde aos ataques com dose de provocação e refinados recados aos opositores. Na abertura dos trabalhos da Câmara de Curitiba mais uma vez não se intimidou e alfinetou: “o Greca só faz asfalto, diz a inveja, esta senhora perversa, cuja língua, de tão grande, se parte em duas agulhas e fura os olhos. De fato, temos feito asfalto. E faremos muito mais. Afinal, foi o que o povo pediu no programa Fala Curitiba.”

Alternando ironia com conhecimento e exercitando seu intelecto, Greca fez um balanço das atividades do ano de 2019 mostrando que vem fazendo uma política diferenciada, principalmente por meio do Vale do Pinhão: “Curitiba foi escolhida como uma das seis cidades mais inteligentes do planeta, de acordo com o World Smart Cities Awards”. Esse “cuidado com as pessoas” foi decisivo para que o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a Agência de Desenvolvimento, liberassem empréstimos para a implementação do Bairro Novo da Caximba e a reformulação do anel do Inter 2.

E assim desfilou seu discurso com ações na educação, segurança pública, saúde e a atenção dada ao funcionalismo, onde destacou o pagamento do salário dos servidores em dia, com a correção salarial de 3,5%. “Creio no serviço público. Não permitirei o apagão dos recursos humanos desta prefeitura”, declarou. O prefeito defendeu, por exemplo, o chamamento de 400 guardas municipais. O “grande esforço de recuperação de Curitiba”, avaliou, “nos permitiu a letra A do Tesouro Nacional”.